terça-feira, 22 de abril de 2008

La Cancion Inesperada - 2008.

Wander Wildner, uma lenda do rock gaúcho, lançou La Cancion Inesperada, seu mais recente disco, aqui em Salvador, na companhia de sua guitarra e de Arthur de Faria, na gaita e acordeon, num show fraco e pouco inspirador. Talvez por está conversando com amigos sobre minhas aventuras e desventuras pela Europa, não tenha prestado muita atenção ao show. O disco foi produzido pelas mãos de Berna Ceppas e Kassin, um dos melhores produtores do momento.
A música Um Bom Motivo cita a mobilete vermelha, esse velho sonho de consumo teen. Me fez lembrar daquelas tardes de domingo sonhando com a pretty girl do colégio grudada na minha cintura. Tédio total nas tardes de uma cidade do interior. Mares de Cerveja fala de "mares de esquecimento onde navegam cegos", velhas bebedeiras onde no dia seguinte você não consegue lembrar como chegou em casa, muito menos o que fez e disse antes de dormir. Porta Retratos é uma das minhas favoritas: "Ela não tem mais as minhas fotos grudada nas paredes do seu quarto, eu vejo que nem porta retratos nunca mais". Massa a forma como Wander dar ênfase a "nunca mais". Os versos desse cara são como os poemas do velho Buk - cortantes e encharcados de bourbon. Tem também uma homenagem à Graforréia Xilarmônica com Amigo Punk . Bacana.
O recado para roqueirinhos radicais de plantão está em O Reverendo Rock Gaúcho. La Cancion Inesperada está à venda nas melhores casas do ramo.

Postar um comentário