segunda-feira, 19 de maio de 2008

18 de maio, quanto tens por dizer... (2ª parte).

( Ian Curtis é o penúltimo ).
18 De Maio é uma data marcante em minha vida. Perdi meu pai, Antônio Mariane, vítima de um acidente fatal na BR - 101, um dia antes. Um caminhão bateu contra sua pick-up em que dirigia a trabalho, levando sua vida e de seu irmão Silvio.
Seu corpo foi levado dentro de um saco direto para o caixão. O volante havia entrado em sua barriga... Cresci ouvindo esta terrível história. As pessoas comentavam quando a gente estava brincando, eu e meu irmão, e acho que elas pensavam que a gente não se ligava nas conversas.
O enterro foi justamente no dia do meu aniversário, 18 de Maio de 1974, quando completei dois anos de idade.
Esta história marcou tanto que até hoje não superei o desprazer de ouvir "Parabéns Pra Você"...
Meus amigos e parentes sabem disso. Eles respeitam e não cantam esta musiquinha ordinária em meu aniversário que raramente comemoro. Nos tempos de escola era foda! Meus coleguinhas cantavam olhando pra mim e sorrindo felizes da vida.
Se eles soubessem o que se passava em minha cabeça naqueles momentos enfadonhos...
Coincidentemente, Ian Curtis, vocal e poeta da banda inglesa Joy Division, meu primeiro ídolo, enforcou-se em 18 de Maio. O ano era 1980 e o Joy Division acabara de gravar Closer, o segundo álbum da banda.
Havia uma expectativa na época. O Joy havia programado várias datas para divulgação do álbum nos Estados Unidos. Músicos, Martin Hannett - o produtor - e Tony Wilson - fundador da célebre Factory Records - ansiavam por este momento. Infelizmente, não aconteceu. Ian suicidou-se em casa dos pais em Manchester, deixando uma esposa, Deborah, e uma filhinha com poucos meses de vida.
O Joy Division foi fundado em 1976 por Bernard Sumner, guitarrista, e Peter Hook, meu baixista preferido, em Manchester, Inglaterra. Logo convidaram o amigo Ian Curtis, que se propôs a cantar e escrever as letras.
Ian trabalhava como vendedor em uma loja de discos e também como funcionário público antes de ingressar na banda. Se chamava Warsaw, um trocadilho com Warzawa, música que está em Low (1977) de David Bowie (gravado em Berlin com produção de Brian Eno).
Gravaram algumas músicas com este nome, mas logo mudaram para Joy Division. O nome era uma referência a ala onde ficavam alojadas as prostitutas nos campos de concentração nazista para diversão dos soldados. Era a divisão da alegria.
Ian disse uma vez numa entrevista sobre suas letras: " Escrevo sobre as diferentes formas que diferentes pessoas lidam com certos problemas, e como essas pessoas podem se adaptar de conviver com eles ".
Já ouvi diversas vezes meus amigos comentarem como era bom chegar da escola e ouvir Ramones bem alto, Led Zeppelin e The Cure.
Eu ansiava chegar para ouvir o Joy Division, aos 16 anos de idade, na pacata Cruz Das Almas. Em dias nublado era melhor ainda.
Postar um comentário