segunda-feira, 30 de junho de 2008

DJ buenas No Bar Balcão.

Acontece nesta terça-feira, 01/07, mais uma discotecagem do DJ buenas no bar Balcão. Os convidados desta vez são os DJ's el cabong e Janocide, residentes da festa NAVE.
Nas pick-ups: Indie - Pop - Pós-Punk inglês - Electro - Rock n' Roll - Glam - Grunge - Hard - Psicodelia - Surf e muito mais.
Bar Balcão fica na rua da Paciência, Rio Vermelho. Começa às 21h e custa R$ 4,00 ( couvert ).

sexta-feira, 27 de junho de 2008

Dica Para Este Fim De Semana.

Punk: Attitude - Um Filme De Don Letts ( 2005 ).

Adquiri este filme no ano passado durante meus últimos meses como vendedor de discos.

Este documentário foi dirigido pelo diretor e músico inglês Don Letts. Letts vivenciou de perto o movimento punk na Inglaterra e Estados Unidos, dirigindo e produzindo filmes para vários artistas. The Jam, Pretenders, Elvis Costello e The Clash, entre outros.
Letts era amigo íntimo dos músicos da banda inglesa The Clash, que após dissolução montou ao lado de Mick Jones, o Big Audio Dynamite.
Neste Punk: Attitude, Letts documenta com precisão e dinamismo imagens raras e imperdíveis com as principais bandas da época. New York Dolls, MC5, The STooges, The Clash, Sex Pistols, Ramones, Blondie, entre outros.
Acrescenta entrevistas com jornalistas, cineastas, artistas e dj's.
Para assistir amanhã, pois hoje acontece mais uma edição da festa A Casa do Rock. Vai ser no Boomerangue, Rio Vermelho, com a presença dos dj's Sartô, Lionman, Curto Circuito DJ Projeto e buenas, este ser que vos escreve. Começa às 23h e custa R$ 12,00.

terça-feira, 24 de junho de 2008

Não Quero Ser Rosa.

Por Samantha Abreu.

Meu Deus, o que eu queria mesmo era ter um homem diferente por dia. Queria viver de aventura, amar efêmero, total. Acordar todas as manhãs ao lado de alguém diferente. Não, ninguém sabe disso. Eu finjo bem, mas queria mesmo é ser puta, daquelas bem rameiras. Queria me vestir de Maria, Clarice, Joana, Sueli, e pegar delas todos os homens. Ser a amante desejada, sonhada. Sabe? Daquelas que eles sussurram à noite, enquanto as santas dormem ao lado?

.....E também porque tenho raiva de limpar essa casa, lavar as roupas dessas crianças e preparar a comida daquele traste pra ser obrigada a ouvir elogios. Não, não sou mãe de família coisa nenhuma. Minha cabeça é suja feito fundo de calcinha gozada e minha alma é iníqua, padre. Sou uma pecadora consciente.

.....Sou outras, muitas e, dessas tantas, nenhuma é flor que se cheire.
.
.
.
Samantha Abreu
foto de Alex Krivtov

http://samanthaabreu.blogspot.com

segunda-feira, 16 de junho de 2008

Galeria.

( Kerze, 1983, que virou capa do Daydream Nation. )
Esta semana o Galeria homenageia Gerhard Richter, pintor e fotógrafo alemão nascido na cidade de Dresden em fevereiro de 1932.
A obra de Richter tem como marca registrada o expressionismo abstrato, pinturas a partir de fotografias e colagens de recortes de jornais.
Conheci seu trabalho através de Kerze ( 1983 ), obra que é capa do disco Daydream Nation ( 1988 ), da banda de rock nova-iorquina Sonic Youth.
Ouvindo a banda neste momento me fez lembrar um fato curioso que aconteceu comigo recentemente em Portugal.
Estava hospedado num albergue sem nada para fazer e me lembrei que em Lisboa tem FNAC, conceituada loja de discos, livros e aparelhos de informática.
Tomei informação de como chegar na loja mais próxima e seguir num auto-carro, como é chamado o ônibus lá.
Primeiro fiquei impressionado com o tamanho da loja, são dois andares, que fica no Baixo Chiado próximo à estação do Rossio.
Perguntei ao primeiro vendedor que encontrei pela frente onde estavam os discos do Sonic Youth. Eis a surpresa: o vendedor não conhecia a banda e perguntou pro colega que disse: " Está em rock alternativo ".
Rock alternativo. Esse termo surgiu no final dos anos 80 substituindo o college rock, surgido no começo da mesma década para designar bandas formadas nas universidades inglesas e norte-americanas. O R.E.M. e The Housemartins, por exemplo, eram college rock band.
E o vendedor não conhecia os mestres da distorção. Uma das maiores bandas de rock do planeta, teve seu primeiro disco lançado em 1982, seguindo firme com sua carreira sólida somando mais de 25 anos de estrada de bons serviços prestados ao bom e velho rock n´roll.
Sister ( 1987 ), é o meu preferido. Obra-prima absoluta. Um mixto perfeito entre distorção e melodia. Noise rock aclamado pelo veterano Neil Young, com quem excursionou anos depois. Não é qualquer banda que sobe ao palco para duelar com o bom velhinho Neil.
Daydream... tudo o que o Nirvana queria ser. Tudo bem. O Nirvana abriu as portas do mercado norte-americano para bandas do underground e conhecidas como alternativas, ajudando essas bandas a entrarem de cabeça no mainstream. Mas foi o Sonic Youth que plantou essas sementes em 1988 com mais uma obra-prima criada nos guetos da grande maçã.
Tenho a Deluxe Edition que foi remasterizado e lançado no ano passado. Duplo, o disco dois traz versões de músicas ao vivo mais quatro covers.
' O rapaz deve está trabalhando para poder pagar os estudos dele ', pensei. , mas um pouco de conhecimento sobre o assunto não faz mal a ninguém.
Pensei em perguntar pelo novo disco do Paul Weller, mas deixei prá lá.
Um vendedor de discos deve ter paixão pelo seu ofício, conhecimento abrangente sobre música, paciência, aprender a ouvir o cliente, e o principal, vestir a camisa.
Resultado: tenho todos os discos do Sonic Youth expostos na loja.
Ainda esta semana comento mais sobre a obra de Gerhard Richter.
Amanhã, 17/06, tem discotecagem com DJ buenas x DJ Bramz no bar Balcão, rua da Paciência, Rio Vermelho.
21h. R$ 4,00 ( couvert ).
( Station, 1987, Oil on canvas.)

quinta-feira, 12 de junho de 2008

On The Rocks Recomenda.


Marçal Aquino - Eu Receberia As Piores Notícias Dos Seus Lindos Lábios ( Companhia Das Letras, 2005 ).

Essa história romântica acontece numa cidade de garimpo do Pará. A narração é feita por Cauby, o fotógrafo que se incomoda toda vez que diz seu nome e alguém faz a seguinte pergunta: " Cauby, de Cauby Peixoto? ".

Cauby, que está a trabalho na cidade, se apaixona pela sedutora, bela e trágica Lavínia, a mulher do querido pastor Ernani.

Cenas de sexo permeiam o livro enchendo-o de lascívia, desejos e traições. O autor consegue materializar bem imagens de ruas empoeiradas, casas de teto baixo, garimpos em meio à corrida do ouro, clima quente, muito quente.

Mesmo parecendo previsível, a narrativa consegue prender o leitor graças a sua habilidade de criar um fio condutor entre os personagens sem cansar a leitura.

Marçal Aquino, paulista, já ganhou vários prêmios com seus livros de contos e novelas. O mais conhecido é O Invasor, que foi parar nas telas de cinema. Marçal também fez o roteiro para o filme.

Quero agradecer ao meu amigo Nelson por ter me emprestado este livro que mal acabei de ler e já estou com saudades.

sexta-feira, 6 de junho de 2008

Dr. Feelgood, Uma Grande Banda De Rock De Bar.

( Capa do disco Malpractice, 1975 ).
Uma vez estava conversando com Bené, meu brother e ex-colega de teatro, sobre rock de bar. Não me lembro na época qual foi a banda que citei. Ele não entendeu o termo e rebateu dizendo que qualquer banda acostumada a tocar em bar pode ser chamada como tal. Não é bem assim meu caro.
O termo pub rock surgiu no começo dos anos 70 na Inglaterra e tinha como referência bandas influenciadas pelo rhythms 'n' blues das décadas de 50 e 60.
Tinham como cenário bares que acolhiam estes artistas, tendo como mérito o entrosamento com seu público.
Ouso dizer que o relacionamento caloroso artista/platéia do movimento punk que explodiria logo depois, partiu dos pub rockers britânico.
Nesta tradição inscreveram-se bandas como Ducks Deluxe, Brinsley Schwartz (que tinha como integrante Nick Lowe), Graham Parker e, se não me falha a memória, o Cactus.
Mas nenhuma delas causou tanto impacto quanto o Dr. Feelgood.
Formada em 1971 na cidade de Essex, Inglaterra, pelos incendiários Lee Brilleaux (vocal e gaita), Wilko Johnson (guitarra), John B. Parks (baixo) e John Martin, o Big Figure (bateria).
Esses caras foram logo chamando a atenção do público e da crítica pelas performances ao vivo, principalmente as endiabradas de Lee e Wilko, que chegou a ser cogitado para ocupar o lugar deixado por Mick Taylor nos Rolling Stones.
No repertório clássicos do r & b compostas por Willie Dixon, John Lee Hooker e Chuck Berry, entre outros, além de canções de seu próprio repertório.
Eu só conheço os dois primeiros discos. São eles: Down by the jetty e Malpractice, ambos de 1975.
Frequentaram as paradas de sucesso na Inglaterra, mas não tiveram seu verdadeiro valor artístico reconhecido mundialmente.
Wilko abandonaria o grupo logo depois da gravação de sneakin' suspicion (1977), quarto disco de carreira da banda, para formar o Solid Senders e em seguida tocar com Ian Dury. Os outros integrantes foram abandonando o barco aos poucos e Lee ficou sozinho. Tentou reerguer a banda com outros integrantes mais novos. Sem sucesso. Os caras não tinham o mesmo pique insano que os fundadores desta que é para mim, a maior de todas as bandas de rock de bar.

quarta-feira, 4 de junho de 2008

NAVE Na Pegada Ácida.


Acontece no próximo sábado, 07/06, mais uma edição da festa Nave. O tema desta vez é: Na Pegada Ácida. A Nave está sempre agitando a noite soteropolitana com os melhores DJs da cidade e convidados de toda parte do país, e é produzida pelos competentes agitadores culturais Luciano Matos e Jan Balanco.

Para esta foram convidados os DJs Ricardo Spencer, premiado cineasta baiano radicado em São Paulo, muito conhecido pelos seus trabalhos junto ao Cachorro Grande e Pitty, entre outros.

Marccela, DJ estreante da noite, os paulistas do Centro Cultural Batidão que é formado pelos produtores musicais Eduardo Ramos e Dago Donato, os residentes Janocide e el cabong. Completando o time temos DJ buenas, este ser que vos escreve.

A Nave existe há três anos e é sempre divertida e contagiante. Então, vamos chacoalhar, porque se depender dos DJs, a festa nunca pode acabar!

Festa Nave.

Boomerangue, rua da Paciência, Rio Vermelho.

23h. R$ 15,00 (Sem consumação mínima).

Essa é a comunidade do On The Rocks no orkut:

http://www.orkut.com/Community.aspx?cmm=53673577

domingo, 1 de junho de 2008

Obra-Prima.

( Capa do primeiro volume de Maus ).
Art Spiegelman - Maus ( Editora Brasiliense ).

Maus é uma de minhas HQ's favorita. Foi escrita ao longo de treze anos, sendo dividida em dois volumes nos anos oitenta. O primeiro volume foi lançado em 1986 e o segundo em 1991, pelo sueco Art Spiegelman, nascido em 1948 na cidade de Estocolmo. Art vem de uma família de judeus e essa história semi-biográfica narra como seus pais sobreviveram em Auschwitz, centro de concentração nazista, época do holocausto.

Os personagens são desenhados pelo próprio Art. Os judeus são representados como ratos e os nazistas, como gatos.

A forma como seus pais sobreviveram à beira do abismo é contada por Vladek Spiegelman, seu pai, em sua própria casa com interferências de sua atual esposa, Mala, uma das sobreviventes desta terrível história. Anja, sua mãe, havia cometido suicídio na Polônia na época da segunda guerra mundial.

Art, que ganhou o Pulitzer em 1992 com Maus, consegue amarrar com maestria todo desespero e aflição dos seus pais e de como foram humilhados pelos nazistas.

Escreve com detalhes a chegada de trem carregado de judeus e de como era feita a escolha para o " banho " na câmara de gás aos trabalhos forçados em troca de míseros pães duros e um pouco de água.

Art Spiegelman é co-editor da Raw, conceituada revista de quadrinhos de vanguarda norte-americana. Leciona na New York's of Visual Arts e mora em Nova York.


( Desenho que está na contra-capa do primeiro volume de Maus ).