terça-feira, 8 de julho de 2008

Galeria.

( Porcupine, 1983 ).
Dia desses encontrei com meu caro Marcos Botelho na av. Joana Angélica, centro da cidade, e como é de costume, conversamos sobre música. E sempre comentamos sobre o Echo And The Bunnymen, a maior banda de Liverpool de todos os tempos.
Ele me disse que os Bunnymen tinha tocado em São Paulo. Falamos sobre Ocean Rain, Porcupine... Daí surgiu a idéia de homenageá-los esta semana.
Adoro as capas do Echo And The Bunnymen. Esse quarteto foi formado no final dos anos 70 em Liverpool, Inglaterra. E foram logo batizados pela crítica especializada de pós-punk inglês.
O som é bem característico da época. Urgente, mas com uma boa dosagem de melancolia e de romantismo.
Os incautos costumam chamá-los de rock triste.
Não é.
Não fico triste quando ouço os Bunnymen. Sinto prazer. Bem estar. Também, uma banda que tem um cantor e poeta como Ian Mcculloch, ouvi-lo só pode fazer o bem.

Que voz! Que estilo de cantar e de se comportar no palco...

Recentemente estavam tocando o disco Ocean Rain, na íntegra, pela Europa.

Ian é um dos meus cantores predileto. Um iluminado. Que Deus continue abençoando-o sempre.

Ainda esta semana escrevo sobre o fotógrafo Brian Griffin que produziu estas capas e outras mais.

Acontece hoje mais uma discotecagem do DJ buenas no bar Balcão, rua da Paciência, Rio Vermelho.

A convidada dessa vez é a DJ Cassicas.

21h. R$ 4,00 ( couvert ).

( Ocean Rain, 1984 ).

Postar um comentário