quarta-feira, 10 de setembro de 2008

Júlio Cortázar E A Casa Tomada.


Por volta dos meus doze ou treze anos de idade, tinha o costume de ler, apenas, os livros que meus professores passavam prá gente responder os testes de interpretação de texto.
Com o passar do tempo, ali por volta dos dezesseis anos de idade, meu amigo e vizinho Itamar Brito, costumava relatar bastante excitado sobre os livros que seus irmãos mais velhos indicavam para ele. Quando dei-me por mim, havia me tornado um frequentador assíduo da biblioteca pública da cidade.
Visitava uma vez por semana a sala de empréstimo de livros por influência do meu amigo Itamar, meu primeiro influenciador literário.
Lia por conta própria: Nelson Rodrigues, Marcelo Rubens Paiva, Edgar Allan Poe, Oscar Wilde, Victor Hugo, Júlio Verne.
Tentei Jorge Amado. Li Mar Marto, com muito esforço, até a metade. Não suportei.
Tentei Dona Flor e seus Dois Maridos... deixa prá lá!
Mas poucos me marcaram tanto quanto Bestiário do argentino Júlio Cortázar.
Bestiário é seu primeiro livro de contos fantásticos. Considerado pela crítica mundial como um dos melhores do gênero escrito na língua espanhola.
O livro começa com Casa Tomada, que conta a história de um casal de irmãos que vivem sozinhos numa casa deixada por seus familiares já falecidos.
Eram felizes. Viviam de recordações. Passavam belos dias arrumando e fazendo planos de decoração. Até que um dia, 'alguém' invade sem cerimônias a casa.
Esta 'visita' inesperada acaba expulsando-os.
Este conto faz lembrar-me das visitas que costumo receber em minha casa.
Eu não gosto de receber visitas sem ser comunicado antes ou que demore dois ou mais dias.
Elas me incomodam porque tiram minha concentração com minhas tarefas do dia-a-dia. Não consigo ler à vontade. Assistir meus dvd's bebendo minha cerva gelada. Ouvir um disco e curitr o som.
Enfim, quebra uma rotina que me agrada muito quando faço. E o pior é quando elas costumam querer mandar nas coisas de casa. Se você vacilar, elas acabam tomando conta de tudo. O que me faz lembrar Casa Tomada.
Ônibus, outro conto de Bestiário, é perturbador e enigmático. Uma verdadeira viagem suicida. De prender o fôlego.
Cortázar nasceu por acaso na Bélgica, em 1914, numa viagem de férias de seus pais. Ficou mundialmente conhecido quando o cineasta Michelangelo Antonioni transportou para as telas um de seus contos, As Babas do Diabo, transformado em Blow-up.
Seu livro mais famoso chama-se O Jogo da Amarelinha (1963), onde ele cria um estilo alternativo de ler o livro pulando os capítulos como propõe o título.
Poucos escritores trataram do realismo fantástico com tanto afinco e genialidade, ao lado de Jorge Luis Borges, como ele.
Esta é a comunidade do On The Rocks no orkut:
Postar um comentário