domingo, 25 de abril de 2010

Quarantine The Past: Greatest Hits (1989-1999) do Pavement - uma Paixão em minha Vida.

Foi com um enorme sorriso no rosto que fiquei sabendo da volta do Pavement meses atrás e agora o sorriso retornou quando soube do lançamento desta coletânea lançada pela Matador Records.

Formada em Stockton, Califórnia, no final da década de oitenta, estes caras ergueram a bandeira como mestres do som lo-fi/indie alternativo que perdurou por toda década de noventa.

O forte de Quarantine the Past são as canções dos dois primeiros álbuns da banda.

Seu líder, Stephen Malkmus, fã de The Faces e Lou Reed - há semelhanças no modo de cantar de Malkmus com este cara que esteve à frente do Velvet Underground - é um dos artistas que mais admiro no planeta.

Slanted and Enchanted (1992) o primeiro álbum, pegou em cheio os admiradores dos sons "estranhos", de baixa fidelidade e despretensiosa forma de tocar seus instrumentos. Com dois bateristas, um cantor carismático e guitarras beirando a demência, o Pavement, uma paixão em minha vida, consolidou-se como um dos grupos mais importantes daquela década.

Crooked Rain, Crooked Rain (1994), menos barulho, nem por isso menos áspero, esta chuva perversa me dá água na boca toda vez que lembro das maravilhas espalhadas ao longo do disco: Gold soundz, Range life, Cut your hair e Silence kit, são apenas partes de uma obra fincada nas melancolias que encharcam dolorosos riffs em sensíveis climas melodiosos.

Após o término da banda por diversos motivos, entre eles, as dificuldades em se encontrar, haja visto a longa distância em que seus integrantes viviam, Stephen Malkmus presenteou seus fãs com seu primeiro disco solo homônimo.

Pra falar a verdade, eu não senti a falta do Pavement quando ouvi as belas canções deste sublime disco. Escrevo sobre ele depois.

Agora, os caras estão de volta. Espero que lancem em breve material novo, diferente do que os Pixies fizeram.

Ontem eu estive na casa do meu amigo Tony Lopes para comemorar o aniversário dos seus filhos Tom e Jimi e conversamos muito sobre música, pra variar, é claro, e fiquei sabendo de seu novo e audacioso projeto musical. Acredito que vá mexer com esta inércia em que se encontra Salvador, cidade que tem roqueiros que acreditam que Luiz Caldas é rock. Vá entender... Até a próxima.

Pavement - Range Life (Para Alexandre "Xanxa" Guena).


Postar um comentário