domingo, 23 de maio de 2010

Tindersticks e o 1º poema de amor.

Os leitores deste blog, ou pelo menos uma boa parte deles, sabe do apreço e carinho que tenho pelo artista plástico, amigo e irmão, Nelsinho Magalhães. Hoje, quando acordei, e após ter dado uma lida no Vinho da Juventude de John Fante, resolvi remexer minhas pastas à procura de inspiração para este post e encontrei um poema que escrevi em companhia de Nelsinho há muitos anos atrás, talvez em 2003, num boteco em Cruz das Almas.
Estávamos bebendo desde o começo de uma tarde de domingo e lá pelas tantas, já era noite, lembro-me muito bem, resolvemos mudar de bar. Encontramos um que existia há pouco tempo e então resolvemos conhecê-lo.
Uma vez dentro do bar, percebemos que o cara que estava atrás do balcão era um velho conhecido. Girino é o seu nome, o cara em que dei meu primeiro soco quando retornei a Cruz das Almas em minha adolescência - ele estava discutindo com meu irmão quando resolvi intervir e batê-lo com um soco feroz em sua boca; bati com tanta força que ele caiu na hora. Eu tinha uns doze ou treze anos de idade e ninguém perturbava meu irmão quando eu estava por perto, pois era briga na certa. Cássio vivia metido em brigas; costumava chegar em casa chorando e, imediatamente, eu saía para defendê-lo. Girino foi o primeiro deles. Depois vieram Marcos Preto e Rivelino - só pra citar alguns.
Então, falamos com Girino, e ele, muito solícito, nos tratou muito bem. Ficamos por ali bebendo nossas cervas - o bar ficava na garagem de sua casa. Logo chegaram uns caras em companhia de umas mulheres... Uma delas chamou nossa atenção. Não sabíamos seu nome, então a batizamos de Angelina - a gente sempre faz isso quando não sabemos o nome da mulher que chama nossa atenção.
Angelina era morena, corpo magro, olhos escuros - pareciam duas jabuticabas - adoro mulheres com olhos assim. As pernas eram perfeitas.... E que olhar!
Ela estava com um cara conhecido nosso - um desses babacas que andam com a camisa do time do coração, rindo o tempo todo e falando um monte de besteiras. Angelina estava séria observando a decoração do bar.
Simples, pequeno, com umas quatro ou cinco mesas e um balcão minúsculo no canto, o bar do Girino atraía os vizinhos pelos caldos que eram servidos, muito bom por sinal. Altamente recomendável. As paredes eram escuras e intimidava um pouco.
Não demorou muito começamos a escrever um poema com pensamento em Angelina. Este chama-se: 1º poema de amor. Um dos muitos poemas que escrevemos juntos. Os outros, sabe Deus onde foram parar!
Angelina saiu em seguida com o babaca na moto mostrando sua exuberante bunda embasbacando os olhares dos frequentadores do humilde boteco do Girino.
Descobri este poema hoje e decidi mostrar aqui para vocês.
1º poema de amor (Tarcísio Buenas/Nelson Magalhães Filho).
Quando a lua sangra meus pés, vomito flores ou láudanos, ou girassóis amargos em meu coração ardente
Hey babe, é só mais uma noite sem suspiros ou tremores nas mãos, o desejo é alucinante e de novo vomito versos, poemas e dores
A noite é cruel,
Vejo o sol que não se alucina com minhas poesias,
Sabe babe, o deserto é azul da cor do sonho de ontem, da cor dos braços tremendo em rouquidão sem fim,
As árvores são belas nesta noite, vou embora babe, e não digo nada.
...
Falling down a mountain é o mais novo álbum da banda inglesa Tindersticks. Um primor de belas canções, Falling começa como se fosse um disco de free jazz, mas não é. Após a segunda faixa o ouvinte pode perceber claramente que não passou de um experimento da banda.
O som dos Tindersticks é matador para quem está amando ou sofrendo por amor. Triste e belo, nublado e sedutor, acredito que este seja disparado um dos três melhores lançamentos deste semestre.
E por falar em lançamentos, está sendo lançado no final do mês o mais novo álbum do Teenage Fanclub - uma das muitas maravilhas desta casa. A música nova já está rolando na Web -, corra atrás.
Ao som de Falling down a mountain e admirando o poema que escrevi com meu amigo em meio às nossas farras - que não são poucas -, vou ficando por aqui.
Visite a La Verga, meu blog de poemas eróticos: http://www.lavergadelbuenas.blogspot.com/. Até a próxima.
Postar um comentário