sábado, 26 de junho de 2010

Para uma musa não muito distante daqui.

Acho que te intimidei quando disse que ainda vou te dar mais beijos na boca. São desejos que parecem satisfazer nossos anseios, é o que parece ao menos. Não importa o tamanho da tua língua, te beijarei sob trilhos que estão cada vez mais próximos (comboios nos aproximarão).
Imagino teus livros repousados suavemente em teu colo como um gato mimado igualzinho ao que você cria em sua casa onde pairam personagens de uma história que parece não ter fim.
Eu quero você. Quero passar dias inteiros trancado em teu quarto ouvindo Pixies e Joy Division - só pra começar.
Lembro dos teus convites e estou cada vez mais próximos de realizá-lo.
Teu lugar é aqui, honey.
Aqui você pode usar suas saias floridas. Mostrar teu umbiguinho de fora com este piercing que te dei de presente naquela manhã tenebrosa carregada de nuvens e estrondos vindos da mata; mesma mata em que transamos pela primeira vez na relva semeada por teus vizinhos que nos espreitavam pelas carroças de feno com seus cavalos robustos e peludos - semelhantes aos do filme que assistimos antes de você partir. Lembra da cena no momento que toca Sea of love com os Honeydrippers?
Me preocupo contigo vivendo no meio desses loucos e estupradores. Sua mãe é uma verdadeira psicopata, viciada em remédios, deprimida e infeliz. Cuidado com seu padrasto: ele vai te sacanear, te entupir de sêmen.
Não tenho como te ajudar vivendo neste inferno em que me afundei. A velha louca e sebosa continua a me desafiar. Temo seu olhar de manhã cedo. Seus escarros esverdeados misturam-se com chicletes de menta que o porteiro arrombador de portões costuma jogar na calçada cheia de bolas de gude e olhares famintos desejando aqueles pastéis frios e gordurosos na janela que ela deixa à vista das crianças que me dão pena.
Seu marido enlouqueceu na noite da formatura na Faculdade de Medicina. Sem condições psíquicas para receber o diploma, saiu em busca de algo para aliviar seus tormentos.
Neste momento, sou abençoado com um suco de jenipapo servido por Dona Glorinha - aquela da quitanda onde você adorava comprar morangos, lembra?
Vou abrir uma cerva agora. Estou com muita saudade de ti. Fico por aqui ao som de Rockin' chair - perfeita balada desses caras de Manchester.

---------------

Disco da Semana.


Escrever-me, Envelhecer-me, Esquecer-me é o primeiro álbum solo de Messias, vocalista e compositor da banda brincando de deus, uma das mais legais do país. Gravado com a participação de vários músicos da cidade num processo que durou mais ou menos dois anos para ficar pronto, Messias estará lançando seu rebento na próxima quarta-feira, 30, na Igreja da Barroquinha - ao lado do Espaço de Cinema Glauber Rocha. O show começa às 21h.
Grande momento para este ser que vos escreve sair da toca. Vou em busca de canções capazes de confortar meus ouvidos tão bombardeados neste São João.
O álbum é triplo e será vendido no momento do show. Eu recomendo de coração aos amantes dos grandes sons.
Para conhecer o trabalho de Messias, clique aqui: www.messias.art.br. Até a próxima.
Postar um comentário