sábado, 24 de julho de 2010

Galeria.


A seção Galeria homenageia desta vez o artista plástico mineiro Rafael Godoy. O cara integra o Grupo Armatrux (teatro de bonecos) de Belo Horizonte e trabalha com as tintas desde a infância. É de seu atelier, num sítio em Rio Acima, que ele cria seus trabalhos de que tanto gosto.
Rafael é filho da minha amiga Adriana Godoy, e foi em seu blog, o Voz (http://www.driaguida.blogspot.com/) onde descobri seus trabalhos. Gostei muito e resolvi postar aqui para vocês.
Mamãe Adriana costuma colocar seus trabalhos para ilustrar suas poesias no Voz - altamente recomendável. Bato ponto sempre por lá. Adoro as poesias da mineira que aos poucos foi dando as caras e hoje considero umas das minhas queridas amigas. Nos falamos sempre e o desejo para um brinde com outros amigos, entre eles, D. Luchiano Fraga, tem aumentado cada vez mais - quem sabe no próximo verão, hein?
Esses trabalhos são estudos que ele fez há uns anos atrás e que são "roubados" por sua mãe e postados no blog sem ele mesmo saber.
Relax man, suas pinturas são legais e aproveito para dar um "pitaco": Por que você não cria um blog ou fotolog para divulgar sua arte? Pense nisso.


Disco da Semana.



Transformer (1972) do Lou Reed foi o escolhido da semana. O bom e velho Lulu - seu apelido desde a época do Velvet Underground -, estará em terras brasileiras nos próximos dias para lançar Atravessar o Fogo - livro que contém 310 letras de músicas traduzidas por Caetano Galindo e Christian Schwartz.

Li sobre o livro na Bravo! deste mês. Gostei muito do texto escrito pelo Arthur Dapieve e da tradução de Walk on the Wild Side.

Atravessar o Fogo estará à venda nas principais livrarias do país a partir da próxima semana, e este ser que vos escreve simplesmente vai pegar aquela grana guardada que seria da dentista, para comprá-lo - o dente que se vire!

Transformer poderia ter entrado na Obra-Prima, mas como prefiro Berlin (1973) e New York (1989), indico por aqui mesmo. Aliás, Lulu é especialista em ótimos e clássicos álbuns. Ouça também Sally Can't Dance (1974), Blue Mask (1982), Legendary Hearts (1983), Songs for Drella (1990) e o fúnebre Magic and Loss (1992) e se deixe levar pelas matadoras Magician e Harry's Circumcision.

Fico por aqui. O dente vai ficar para a próxima, pois já na segunda-feira estarei atrás de Atravessar o Fogo - paciência Drª Monalisa, nos veremos em breve. Até a próxima.
Postar um comentário