domingo, 1 de agosto de 2010

Quando o Tempo Demora de Passar...

Quando o tempo demora de passar, minhas pálpebras ardem como tochas de fogo
Arenas a céu aberto em minha frente prenunciam uma noite lenta
Cambaleante, vou até minha coleção de discos
Escolho um que se encaixe perfeitamente bem com o momento
Bruce Springsteen em suas primeiras gravações melancólicas carregadas de solidão e falta de esperança
Nina Simone com seu romantismo confortante
Ao som de Don't you pay them no mind
teclo estes versos preguiçosos que se arrastam junto com minha desesperança e crença no nada
Meu corpo reclama o tempo todo
Faz frio agora nesta tarde densa
Sinto-me outro
Doente
aceito conselhos que de nada valem
Fogos de artifício me assustam
Babacas reunidos em grupo torcem em vão
O vozeirão do The Boss atravessa meus sentidos acertando-me em cheio
Meu corpo dói
Meus dedos não me obedecem
Sozinho mais uma vez
Sozinho mais uma vez
Deito-me no sofá
Besouros impregnam o tapete
Meus olhos ardem
Enjoo
Meus dedos travam sob o teclado
Nada a temer
As fumaças pairam tranquilamente
sob meu corpo inerte no sofá da sala em frente à TV
Tudo parado
Tudo parado.
Postar um comentário