domingo, 29 de agosto de 2010

Sons Que Tocam no Meu Discman.

Ontem, eu passei uma tarde regada a cervas e som - mais uma vez! Estava na casa do meu amigo Christiano Blumetti gravando uns discos de sua coleção e fazendo downloads.
Como nos velhos tempos, conversamos sobre música o tempo todo. Sofia, sua filha de dois anos de idade, nos interrompia a todo instante com suas brincadeiras, o que fazia o ambiente ficar mais agradável.
Antigamente, as gravações eram feitas de LP para K7, e eram momentos maravilhosos em que passávamos as tardes de sábado e domingo descontraídos ao som da boa música - eram os marcantes anos oitenta.
A descoberta de muitas bandas, juntos, aproximaram cada vez mais nossa amizade. E olha que não foram poucas: U2, The Cure, The Smiths, Echo and The Bunnymen, The Cult, The Mission, Jesus and Mary Chain, New Order, Sugarcubes, Joy Division, Felt, A Certain Ratio, Primitives, Sonic Youth, Simple Minds e muitas bandas brasileiras eram apenas, algumas delas.
E ontem a sensação que tive foi a mesma de outrora. Os anos passaram-se, é verdade, mas o prazer de compartilhar juntos esses momentos continua, e às vezes, sinto-me como uma criança brincando com meus amiguinhos da escola.
Dos discos que gravamos, um dos que mais gostei foi o Reimagines Gershwin do Brian Wilson.
Neste já clássico lançamento, Mr. Wilson presenteia-nos com uma coleção de canções de um dos maiores compositores popular de todos os tempos, o norte-americano George Gershwin.
Gostei muito da interpretação de Summertime e S'wonderfull, só para citar algumas delas.
A orquestração está impecável e Mr. Wilson está cantando bem melhor do que em seus trabalhos anteriores.
Classe A. Nota 9.
Curti muito o Sea of Cowards, segundo lançamento do Dead Weather, projeto/banda do talentoso Jack White - o artista mais importante na música da década passada.
Muito bom. Nota 8.
Beat the Devil's Tatoo, o mais recente do Black Rebel Motorcycle Club, banda surgida no começo da última década nos Estados Unidos, pegando carona na explosão que foram a dos Strokes e White Stripes, é talvez, sua melhor obra.
Fim de semana salvo, fui para casa com meus discos embaixo do braço com um sorriso escancarado na cara. Até o compromisso que fora desmarcado em cima da hora não me fez abater e aqui estou curtindo essas pepitas em forma de arte.
Ah, não posso esquecer-me de mencionar outras gravações: Prefab Sprout - Steve McQueen, clássico de meados dos anos oitenta. Quer detalhes do álbum? Então leia o post que meu caro Sérgio Cebola escreveu tão bem em seu blog (www.oculosdecebola.blogspot.com). Vai lá, o cara entende do assunto, eu garanto.
Rod Stewart - Every Picture Tells a Story (1971); Damned - Machine Gun Etiquette (1979); X - Wild Gift (1981); Phil Spector - A Christmas Gift for You (1963); Alice Cooper - School's Out (1972); Replacements - Let it Be (1984); Sugar - Copper Blue (1992), entre outros, salvaram meu fim de semana.
Aqui estou me preparando para entornar uns copos com Cássio, meu irmão, e colocar os papos em dia. Até a próxima.
Postar um comentário