quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Madrugadas confortantes.

Passei o feriadão em casa colocando as coisas em ordem; tentando, ao menos. Nas madrugadas, aproveitei para fazer download de uns discos que estavam em minha lista esperando uma oportunidade. O tempo é precioso e tenho tido muito cuidado procurando preenchê-lo da melhor forma.
Eis os downloads:

Lucinda Williams - Car wheels on a gravel road (1998). Gostei muito de Right in time, a faixa de abertura; Drunken angel - que agora, é o novo nome do meu blog reserva - soa doce e agradável.

(Gato de Hotel, apelido dado por meu irmão, era o nome desse blog reserva).

Neste, que é um dos melhores discos de carreira da Lucinda Williams, Metal firecracker gruda no cérebro com seu belo refrão e parece não querer sair mais. Recomendo aos admiradores da country music, com acento pop, que me faz lembrar a Sheryl Crow.

Billy Bragg and Wilco - Mermaid Avenue (1998). Nora Guthrie, filha de Woody Guthrie, convidou o cantor inglês de música folk para gravar um álbum em homenagem ao seu pai. Bragg aceitou o convite, mas sentiu que precisava de uma banda que pudesse penetrar no universo sonoro de Woody, e então, convidou o Wilco para tal missão.

O resultado é uma coleção de pepitas da mais alta qualidade interpretada por dois artistas de grande talento e carisma. Neste caso, Bragg e Jeffy Tweddy (o cantor e compositor do Wilco).

Jeff e sua turma souberam como ninguém penetrar nas canções do mestre norte-americano com respeito e dignidade. Recomendo.

Van Morrison - Astral Weeks (1968). Este eu tenho o LP, mas como o prato do meu toca-discos deu tilt, resolvi baixá-lo também. Me emocionei ao som de Madame George e lembrei-me do filme - não lembro o nome - que toca essa música no final. Conta a história de uma mulher (interpretada por Marianne Faithfull) vivenciando um triângulo amoroso com dois irmãos.

São nove minutos de uma balada romântica de tirar o fôlego. Agora, que comprei um headphone novo, vou aposentar meu Discman por uns tempos e deixá-lo para as viagens. Ah, em breve, farei uma à Cachoeira de ônibus. Visitarei dona Véinha em São Félix e beberei umas cervas em seu boteco que fica no Cruzeiro. A minha intenção é buscar inspiração, pois o local proporciona e dona Véinha bate ponto em minhas cartas e poemas postados em meus blogs.

Jerry Lee Lewis - Mean old man (2010). Jerry Lee mandou bem em seu novo álbum com seus ilustres convidados - uma continuação do ótimo Last man Standing (2006). Nesta nova empreitada, Mick Jagger marca presença em Dead flowers, e Keith Richards, em Sweet Virginia. Sheryl Crow arrebenta com sua sensualidade em You are my sunshine. Ron Wood, Mavis Staples, Ringo Starr e Solomon Burke, entre outros, completam o time.

Haja fôlego para acompanhar o velhinho rocker que continua em forma esbanjando energia pra todos os lados.
Steely Dan - Can't buy a thrill (1972). Recomendo para a mulherada que gosta de um som classe A. Swingue no ponto; ritmo cadenciado; a voz do cantor, Donald Fagen, se encaixa perfeitamente bem com o clima das músicas desse álbum que deveria está na seção Obra-Prima. Sem comentários.

Pulp - Different Class (1995). Me fez lembrar as noites em que eu e meu amigo Xanxa colocávamos o Rio Vermelho de cabeça para baixo. Jarvis Cocker é um dos nossos. Outra Obra-Prima.

Já escolhi meu disco do ano, mas só vou revelar na já tradicional lista com os melhores que sai dia trinta e um de dezembro.

O nacional já foi recomendado aqui; já o internacional, não. Falei com alguns amigos rapidamente sobre, mas eles não prestaram atenção. Coitados, não sabem o que estão perdendo.

Fiz outros downloads. Comento depois. Pena não ter conseguido o novo do John Legend & The Roots - Wake up! Não encontrei o link em site algum. Como diria minha mãe: "Nem tudo são flores".

Finalmente comecei a twittar com frequência; coisa que não tenho o costume de fazer. Quem quiser me seguir, é só procurar por buenasrocks. Quero aproveitar para agradecer ao Marcelo Costa, do Scream & Yell, pelo link para ouvir o disco fofo do Pullovers do ano passado.

(Automatic for the people do R.E.M. (1992), outro da listinha de downloads. Depois comento sobre ele).
Postar um comentário