sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Catando teclas.

Imagino que existe algo melhor para fazer na véspera do Natal do que ficar em frente ao computer catando teclas. Eu nunca passei um Natal como esse agora. Sozinho, aproveito para ouvir uns discos que estavam na minha lista há algum tempo.
Estou sozinho por opção. Sinto-me muito bem. O tratamento no centro espírita acabou, agora é com a medicina. Meu novo tratamento começou na semana passada com a psiquiatra Drª Inah Maria. É ela quem vai me acompanhar nos próximos três meses.
Nada grave, ok? Estou apenas procurando ajuda para tratar alguns grilos... Pensei ter sido forte esse tempo todo, quando dei por mim, o lixo guardado embaixo do tapete estava transbordando e enchendo a sala de entulhos e isto estava me incomodando muito.
Sob efeito de medicamentos e de uma garrafa de vinho tinto chileno cato estas teclas aqui neste teclado que me serve de companhia enquanto ouço Swanlights, o mais novo álbum do Antony and The Johnsons.
Para quem não sabe, Antony começou sua carreira artística como backing vocal de Lou Reed até cair nas graças da crítica especializada nova-iorquina que não pararam de tecer elogios ao seu novo pupilo.
De uma voz distinta e impressionante, Antony envolve o ouvinte tocando piano magistralmente bem num clima soturno e misterioso.
Outro som vindo de Nova York me acompanha nesta noite silenciosa que me envolve com o mesmo clima de antigamente quando ficava ansioso para dormir, pois sabia que Papai Noel deixaria meus presentes em cima dos meus sapatos que ficavam ao lado da minha cama. O velhinho nunca faltava - sempre ganhei presentes natalinos e não foram poucos. Um dos mais bem vindo foram o boneco Falcon acompanhado de uns playmobils, e o Super Rally vermelho e preto movido a bateria. Demais. Inesquecível.
O bom velhinho tem esquecido de mim ultimamente. Para não passar em branco, me presenteio todo ano e desta vez não foi diferente.
Ao sair do trabalho hoje, comprei o mais novo lançamento de Bob Dylan. Chama-se The Witmark Demos (1962-1964). São as primeiras gravações do cara e eu não ia deixar passar essa.
Não encontrei Vida do Keith Richards - paciência. Vou atrás ainda nesta semana mesmo!
Lisbon do The Walkmen é bacana. Inspirado. Mas o Antony consegue me tocar mais nesta noite já memorável em minha vida. Ficar sozinho por opção está sendo muito bom pra mim. Necessito desse momento, sabe...
Minha lista com os melhores do ano está quase pronta e este belo Swanlights vai está presente nela.
Fico por aqui ao som dessas maravilhosas companhias natalinas. Até a próxima.
Postar um comentário