domingo, 27 de fevereiro de 2011

TAZ e Minhas Musas Inspiradoras.

(Design by Marcos Rodrigues).
Encerra-se nesta terça-feira, 01/03, o projeto TAZ (Tuesday Autonomous Zone) para este verão. Logo após o carnaval, voltaremos a discotecagem que deu o que falar neste já saudoso verão.
O TAZ começou de um bate papo entre os amigos Osvaldo Brahminha e Nei Bahia pelas ruas da cidade. Logo, os caras passaram a ideia para o meu caro Marcos Rodrigues (Designer e baixista da Theatro de Séraphin) que abraçou a ideia e providenciou urgente um bar para abrigar amigos com a simples proposta de ouvir um som bacana e beber umas cervas geladas, despretensiosamente.
Participei da primeira edição e não deixei mais de aparecer para me divertir e discotecar também, assim como meus caros Sérgio Cebola e Messias GB - fieis escudeiros envolvidos na proposta do evento.
Mais uma vez, quero agradecer aos camaradas por tudo. Para este já memorável grand finale de verão, vou discotecar com o Nomenklatura (Marcos, Nei e Brahminha) num evento onde haverá projeção de slides de vários fotógrafos baianos.
Evento:
TAZ mais Projeção de Slides.
Com DJ Buenas e o Nomenklatura.
Onde: Ulisses Bar (Rua Direita de Santo Antônio, além do Carmo - Centro Histórico).

Quando: Terça-feira, 01/03.
Horário: 19:00h.
Free.
Apareça e leve seus amigos.
Três Fotografias. Três Musas Inspiradoras.

(Patti Smith).

(Jane Birkin).

(Marianne Faithfull).

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Horses and high heels, o mais novo disco da Marianne Faithfull.

Costumo dizer que tenho três musas inspiradoras na música, e uma delas, a Marianne Faithfull, lançou há duas semanas atrás, Horses and high heels, o 23° disco de sua carreira.
Esta loiraça, que já fez minha cabeça várias vezes, era conhecida em sua juventude como "a namorada de Mick Jagger". Na verdade, ela é bem mais do que isso.
Cantora, letrista e atriz de talento e versatilidade incontestável, esta inglesa encantou o mundo com sua belíssima versão para o clássico As tears go by.
Complicações com álcool e heroína - época em que tentou suicídio nos anos setenta -, quase a levaram daqui. Graças aos bons deuses, permaneceu para lançar no final dessa mesma década, um dos seus melhores álbuns: Broken English (1979).
Com uma voz diferente, densa e provocante, Marianne resurgiu praticamente das ruínas em que estava vivendo para seguir firme em sua carreira repleta de belas interpretações, não só na música, mas como no cinema também.
Horses and high heels faz jus à carreira de uma artista que me faz lembrar uma boa garrafa de vinho - quanto mais velho melhor.
Como nos lançamentos anteriores, Marianne convocou um timaço de artistas para acompanhá-la.
Lou Reed, um dos meus ídolos, é um desses convidados.
Ouça Horses and high heels e entre no clima de um dos principais lançamentos do ano.
Minhas outras musas são: Patti Smith e Jane Birkin.
--------------
Estou ouvindo muito Hardcore will never die, but you will dos escoceses do Mogway.
Atmosférico e denso, porém acessível, Hardcore... está mexendo com minhas noites, quando fico sozinho no meu canto refletindo sobre o dia e as coisas da vida...
Recebi um e-mail de um amigo onde o jornalista André Barcinski critica o indie rock. Meu caro, inspirado no disco do Mogway, e no seu texto, farei uma camiseta assim:
Indie rock will never die, but you will.
Não sei por quê o indie incomoda tanto as pessoas mais radicais... a gente não tá nem aí para críticas como a do Barcinski e fica todo mundo enchendo o saco com esse papo.
Ah, antes que eu me esqueça, já está disponível para download, The king of limbs, o mais novo do Radiohead.
Eles demoraram, mas não falharam. Que bom! Os indies só têm a agradecer.
---------------
Terça-feira que vem tem o bota fora de Persie no Sebo Praia dos Livros, a partir das 18:00h, com discotecagem da mesma, DJ Linn e Elettra.
Logo depois, rola mais uma edição do TAZ (Tuesday Autonomous Zone) no Ulisses Bar, 19:00h. Free.
E eu, é claro, vou pros dois. É isso. Até a próxima.


quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Nuvem de DJs.

O verão está quase chegando ao fim. O carnaval está batendo na porta e logo virá o outono. Eu só tenho uma coisa a dizer: Obrigado ao projeto Nomenklatura do TAZ (Tuesday Autonomous Zone) e ao meu caro Messias GB pelos convites para discotecar no evento Nuvem de DJs.

Estas discotecagens fizeram a diferança neste verão para mim. Considero estes eventos como os melhores happy hours da cidade.

Num momento de transição em minha vida, discotecar veio somar à minha melhor terapia, que é a arte de escrever. Tenho escrito pouco, é verdade, mas é por problemas técnicos, como já disse aqui.

Em mais um evento do projeto Nuvem de Djs, me apresentarei em companhia do anfitrião Messias GB (DJ Elettra) e Persie, minha amiga que está de mudança para São Paulo no fim do mês.

Talvez, esta seja minha última apresentação neste verão. Talvez. Na dúvida, capricharei no meu set. Pode acreditar.

Então fica assim:

Evento: Nuvem de DJs.
DJs: Elettra, Persie e Buenas.
Onde: Sebo Praia dos Livros (Porto da Barra).
Quando: Sexta-feira, 18/02.
Horário: 18h.
Ingresso: Free.
Apareça.

domingo, 13 de fevereiro de 2011

Under Cover of Darkness, novo single do The Strokes.

Aqui está o link para você ouvir Under cover of darkness, o novo single da banda nova-iorquina The Strokes. Angles, o novo álbum, será lançado em 21 de março.


Clique aqui: http://musica.uol.com.br/ultnot/2011/02/09/nova-musica-do-strokes-esta-disponivel-para-download-gratuito.jhtm


Se você estiver com dificuldades para acessá-lo, copie e cole no navegador. Até mais.

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Emergência, uma poesia de Mário Quintana.


Quem faz um poema abre uma janela.
Respira, tu que está numa cela
abafada,
esse ar que entra por ela.
Por isso é que os poemas têm ritmo
- para que possas profundamente respirar.
Quem faz um poema salva um afogado.

---------------

Ando afastado do computer que Liquinho me emprestou por motivos técnicos. Logo, logo estarei em companhia dessa máquina que não pode faltar em meu lar, principalmente agora. Sem computer por perto sinto-me fora do universo. Longe de elos que me dizem muito. Amigos, blogueiros, ídolos, inclusive, me fazem muito bem quando entram em contato comigo através dessa máquina imprescindível para minha existência.

Estou com muitas ideias sem poder colocá-las em prática. Tenho um poema lindo na mente que não sai no papel - sempre tive dificuldades para escrever de mão em punho. O meu negócio é com o teclado mesmo.

Caro leitor, tenha paciência comigo. Voltarei a dar-lhes dicas musicais e literárias assim que as coisas se resolverem por aqui. Escrevo agora de um cyber café contra o tempo. E quer saber? Odeio escrever em cybers.

Bem, agora vou no TAZ curtir a discotecagem do meu caro Sérgio Cebola. O cara é um dos meus. Sei que vai valer a pena rever amigos e bater um papo ao som daquele menino, um tal de rock and roll.

Lembrei-me agora do gênio da lâmpada da história de Alladin: "O tempo está acabando..." Até a próxima.