sábado, 30 de julho de 2011

As Dez Mais da Semana.


De uma brincadeira da Vanessa (http://www.fio-de-ariadne.blogspot.com/), a de postar as dez músicas que ela mais ouviu no dia - coisa de gente apaixonada por música -, tive a ideia de criar um post com as dez mais da semana. Pretendo, com isso, postar aos sábados essa listinha.
Os discos que mais ouvi na semana foram o Do it Clean, o mais novo do Echo and The Bunnymen, gravado ao vivo em Liverpool; Adeus, segunda-feira triste, EP da Bidê ou Balde - uma prévia do que a banda está preparando para o próximo álbum; o primeiro rebento da Anna Calvi e Whatever's on your mind, o mais novo da banda britânica Gomez.
Aqui está a listinha com as dez mais da semana:

1. Anna Calvi - Blackout;
2. Anna Calvi - The Devil;
3. Bidê ou Balde - Adeus, segunda-feira triste;
4. Gomez - Our goodbye;
5. Saco de Ratos - Mulheres;
6. Gal Costa - Baby blue;
7. Danger Mouse & Daniele Luppi - Two against one;
8. Thurston Moore - Benediction;
9. Decemberists - Down on the water;
10. Emiliana Torrini - Sound of silence.

terça-feira, 26 de julho de 2011

O Legado de uma artista em estado bruto: paixão e intensidade.

Este texto foi escrito por Messias Bandeira, músico e professor da UFBA, e publicado no Jornal A Tarde, Salvador, 24/07/2011.
Poucos artistas conseguem criar um legado ao longo de uma  carreira. Amy Winehouse conseguiu isso com apenas dois discos, tendo construído um patrimônio musical que, se nos parece inacabado, foi tão intenso e rico que dispensa a fita métrica. Os desregramentos de sua vida pessoal retroalimentavam um sistema que, ao mesmo tempo, condena o excesso, mas, às escondidas, celebra o escândalo com o combustível do show business.
Nada disso foi capaz de ofuscar a Amy preciosa da soul music: voz emblemática, performance cativante, presença magnética. Fui a Recife, em janeiro, ver seu show. Uma artista em estado bruto, autêntica. Suas quedas durante a apresentação eram quase que comemoradas por parte da plateia. Outra parte queria carregá-la no colo. Quando ela retornava ao palco - após fugas repentinas -, o público gritava como se fosse sua primeira entrada.
Amy deixa o palco de novo. Desta vez, não voltará, pois ficou presa a uma estrela que percorre o universo: há outros palcos a iluminar.

terça-feira, 19 de julho de 2011

Na Noite.


(Fábrica de Animais. Foto by Mônica Miguel).
Na noite é que me sinto melhor, e duas bandas foram protagonistas dessas últimas noites.
A Fábrica de Animais, veterana paulistana, que tem a escritora e cantora Fernanda D'Umbra à frente, foi a maior surpresa até o presente momento.
Formada em 2007, a Fábrica tem se destacado na noite paulistana devido ao seu rock vigoroso que me fez lembrar os melhores momentos do Tutti Frutti e da Nau, extinta banda da Vange Leonel.
O primeiro disco da Nau é um dos melhores discos de rock lançado no país em todos os tempos.
Assisti ao show no último sábado no Club Noir, rua Augusta, e fiquei impressionado com o carisma e presença de palco da Fernanda, digna das maiores cantores de rock.
Eles não têm nenhum registro sonoro ainda; me deixaram com água na boca e com aquela vontade de assisti-los em breve.
Bati um papo com a Fernanda no final do show, na porta do Club, entre umas cervas e outra. Perguntei se eles têm planos para lançar aquelas músicas em disco, e ela, sorridente, me disse que estão com planos para lançá-las nem que seja num site com link para download.
Muito bem Fernanda, o importante é gravar o trabalho de vocês que é bem legal e divulgar por aí.
A Fábrica de Animais, são: Flávio Vajman, Cristiano Miranda, Sérgio Arara, Rubens K e Fernanda D'Umbra.

(Os Últimos Românticos da Rua Augusta).
Os Útimos Românticos da Rua Agusta, outra grata surpresa, foi formada neste ano pelos músicos Sérgio Serra (Ultraje a Rigor; violão), Wanderley Luiz (Wander Wildner, ex-Replicantes; violão), Gustavo Kaly (Stuart; violão e composições), Cristiano Carlos (baixo), Luciano Malásia (Ultramen; percussão).
O som da banda é um verdadeiro misto de folk-punk-jazz de apartamento, como a própria banda divulgou em sua página no Facebook.
Assisti ao primeiro ensaio aberto, na última quarta-feira, no Coletivo Galeria, rua dos Pinheiros - o aperitivo para o show de apresentação para o grande público que aconteceu no Studio SP, sexta-feira, 15.
Curti as letras românticas e inspiradas do Gustavo, baladas que servirão para embalar suas tardes de ressaca, ou para acompanhar aquela farra com seus amigos.
Wander já havia gravado duas dessas canções em seus dois últimos discos - esqueci o nome das músicas agora, sorry.
Conversei com Wander no final do show sobre as expectativas de lançar essas canções em disco, e ele me disse que não tem nada programado no momento.
Serginho mostrou-se entusiasmado com seu novo projeto/banda e me pediu desculpas por não me dar maior atenção no momento. Percebi o entusiasmo do cara, que está chegando de Teresópolis, para fixar residência aqui em São Paulo e, depois de uns brindes, me afastei e fiquei na porta fumando minha cigarrilha e curtindo a noite, pois é nela que me sinto melhor.
Boa sorte, rapazes. Tin tin!
Visite a La Verga, meu blog de poemas eróticos: http://www.lavergadelbuenas.blogspot.com/. Até a próxima.

Galeria.

segunda-feira, 18 de julho de 2011

A Poesia de Sam Shepard.

(Sam Shepard).

E a tua mãe também.

Tô de saco cheio desse sentimentalismo pop star
Relembrando velhos Ford anos 40
E os Beach Boys
E os anos 50 sim e eram o máximo
Os anos 50 eram uma merda cara
E você também
E a tua mãe também.


sábado, 9 de julho de 2011

A Vida em Preto e Branco.

(Foto by Juan Rulfo).
Seu sorriso cínico não me engana. Eu nunca me engano. Frio de rachar este que sopra agora. Frio como meus sentimentos que sopram seus cabelos manchados. Seu bumbum sujinho de lama desvia meu olhar em direção ao nada. Sigo - daquele jeito. Você sabe como. Nunca me disse, mas eu nunca me engano.
* * *
São escritos como este que me fazem analisar a importância dos meus posts aqui no On The Rocks. De nada valem, eu sei. Eles não me dizem muita coisa... imagino que a você, também. Ando em crise com o teclado branco do meu Notebook. Tentei algo no teclado preto do Notebook de Kiko - meu amigo que me hospedou em seu apartamento na Vila Madalena -, mas não saíu nada.
Adoro a Vila. Adoro São Paulo - minha cidade number one do país.
A seleção brasileira joga neste momento. Não quero assistir o jogo. Não quero fazer nada agora.
A ressaca está sob controle. O mal humor, não. Estive na Galeria ontem à noite para pegar meu livro DJ, Canções pra tocar no inferno, do Mário Bortolotto - que perdi da última vez que estive aqui -, mas a Lu esqueceu o livro em casa, então marcamos para a próxima quarta-feira - quando acontecerá o show do Wander Wildner - em companhia de Serginho Serra (Ultraje a Rigor), e mais dois músicos. Programão!
A ressaca assolou aqui. Meu amigo está assistindo ao jogo da seleção com cara de ontem. Tomamos sonrisal, mas as coisas ainda estão estranhas. Sem graça. É verdade que minha vida é preto em branco, mas agora tá demais.
Estreiou ontem à tarde, o filme Daquele instante em diante, documentário sobre o Itamar Assumpção. Estive lá no Cinema Unibanco, mas só há uma sessão por dia e esta já tinha começado. Nesta primeira semana, a apresentação será sempre às 16h. Entrada franca.
Assistirei na segunda-feira. Bom motivo para começar bem a semana.
Perdi o show do Television, banda nova-iorquina que tem à frente o cantor, músico e poeta, Tom Verlaine. Sou fã do cara. Tenho um enorme carinho pelo Marquee Moon - disco de estreia da banda.
O show foi na quinta-feira - dia em que cheguei da casa de minha mãe. Estava cansado. O que eu mais queria naquele momento era uma cama. Também acho difícil que eu achasse ingresso à venda. Meus amigos Ricardo Spencer e Persie, foram, e sentiram minha falta. Expliquei a eles o motivo da minha ausência. Acho que eles entenderam.
O disco Demolished thoughts do Thurstoon Moore (Sonic Youth) é a pedida da semana para o disc player.
Fico por aqui. A ressaca ameaça uma tarde de sábado sem cervas - isto é muito chato. Não vejo graça em nada. Não sinto prazer em nada, e raramente me engano.
Visite a La Verga, meu blog de poemas eróticos: http://www.lavergadelbuenas.blogspot.com/.