sábado, 27 de agosto de 2011

Obra-Prima.



Van Morrison - Astral Weeks (1968). Um disco atemporal. Lançado pouco tempo depois que Morrison saiu do Them - banda irlandesa criada em 1963 por ele mesmo -, devido a uma insatisfação com os empresários que ditavam regras, como por exemplo, substituir os músicos da banda por outros de estúdio no momento das gravações (Jimmy Page foi um desses convidados na época).

Mesclando folk celta com jazz e pitadas de blues, Astral Weeks foi o álbum determinante na carreira de Morrison.

Gravado em Nova York em apenas dois dias pela Warner, nele há Madame George, canção que eu queria ter feito e presenteado a uma mulher, embrulhada num buquê de rosas, cuidadosamente, para não amassar.

São três horas da matina e o café está daquele jeito. O sono não deu sinal de vida ainda. Isto é ótimo. Tenho tempo suficiente para escrever ouvindo um dos mais belos discos da minha coleção. Mais uma obra-prima sendo escrita pra vocês.

Em breve, o On The Rocks entrará numa parceria com um grande site de música deste país. Isto é, se tudo der certo, é claro.

Fiquei feliz em receber um comentário do Mário Bortolotto no post Qualidade de Vida. Man, fique à vontade; a casa é nossa.

A carreira de Morrison engrenou após o lançamento de Astral Weeks. Que bom. Outras maravilhas ele gravaria nos anos seguintes. Moondance é apenas um desses álbuns altamente recomendáveis.

Amanhã, ou melhor, hoje, quando eu acordar, tomarei vergonha na cara e assistirei ao DVD Ladies and Gentlemen dos Rolling Stones - presente do meu amigo Peu Safira - que até hoje não assisti. Um vinho como companhia cairá bem. Acredito.

Ontem, eu caminhei no final da tarde e achei engraçado como as pessoas olharam para o meu All Star vinho, e em seguida, pra minha cara. O que será que eles pensaram? A ressaca estava sobre controle, então, eu não devia está com cara de "ontem", mas alguma coisa eles acharam, pois a cara que fizeram não me engana. Algo aconteceu. Algo vai acontecer a qualquer hora, a qualquer momento.

Até a próxima.


As Dez Mais da Semana.


1. Stephen Malkmus and The Jicks - No one is (as i are be);
2. Van Morrison - Madame George;
3. The Cult - Lil' devil.
4. Theatro de Séraphin - Prece;
5. The Gilbertos - A Hora de zarpar;
6. Fun Lovin' Criminals - We have all the time in the world;
7. Roberto Carlos - Como dois e dois;
8. Bob Dylan - This dream of you;
9. Drugstore - Lights out;
10. Danger Mouse & Daniele Luppi - Black.

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Galeria.

Eu sempre tive curiosidade pra saber quem são os meninos que estampam a capa do clássico Clube da Esquina de Milton Nascimento e Lô Borges gravado em 1972.
Foi meu amigo D. Luchiano Fraga quem me emprestou este álbum após uma farra na casa dele, nos idos de 1995/1996. Eu já conhecia a capa do álbum, através de revistas e lojas de discos, mas nunca tinha escutado. No momento do empréstimo, perguntei a ele quem eram os meninos, mas ele não sabia. Então, perguntei a Nelsinho Magalhães, outro amigo em comum, mas este também não sabia.
Coloquei o disco embaixo do braço e fui pra casa. Coloquei-o ao lado do meu som no quarto e fui dormir admirando os dois meninos. No dia seguinte, escutei com minha mãe várias vezes; era um domingo, e a gente ficou em casa bebendo umas cervas e curtindo minha nova descoberta.
Nossas visitas questionavam quem eram os guris.
Passado uns anos, meados da década passada, a revista Bizz, ao qual sou fã - muito do que sei sobre música, aprendi através dela - querida por boa parte da minha geração, publicou um especial intitulado As 100 Maiores Capas de Discos de Todos os Tempos, e nela havia um texto explicando a história da capa dessa obra-prima da música.
Os meninos foram fotografados pelo recifense Cafi, apresentado aos mineiros por Ronaldo Bastos, em um casarão na praia de Piratininga onde Milton, Lô e sua turma gravavam o disco.
A convite de Milton, Cafi seguiu com o grupo para a festa de bodas de prata dos pais do cantor. No caminho, às margens de uma estrada de terra, Cafi pediu para que o motorista parasse e então ele fotografou os dois meninos, um negro e um branco, que ali estavam sentados observando o movimento da turma.
Cafi diagramou sua foto sem texto nem identificação, mas foi obrigado pela EMI-Odeon a usar os nomes de Milton e Lô na contracapa do álbum com letras garrafais. Era um truque: a gravadora orientava os lojistas a exibirem o disco com o verso para a frente.
Fico por aqui ao som de O Trem azul, minha canção preferida do álbum.

Até a próxima.

sábado, 20 de agosto de 2011

As Dez Mais da Semana.


1. Wanda Jackson - Rum and coca-cola;
2. Cake - The guitar man;
3. Os últimos Românticos da Rua Augusta - Um mundo sem Joey;
4. Gliss - Morning Light;
5. Vaccines - Blow it up;
6. Tha Bad Plus - Barracuda;
7. Arcade Fire - Empty room;
8. Theatro de Séraphin - Prece;
9. The School - I don't believe in love;
10. Built to Spill - The plan. 

terça-feira, 16 de agosto de 2011

Qualidade de Vida.

Durmo tarde e acordo tarde. Odeio acordar cedo. Bebo toda semana e fumo cigarrilhas com aroma natural pra acompanhar um vinho. Não jogo bola. Não frequento academia. Gosto do pique das cidades grandes e do frio. Fico mal humorado quando o tempo esquenta demais e raramente tomo sol. Não faço exames regularmente. Não tenho medo do escuro, nem da morte.
Acho insuportável esse papo de que qualidade de vida é dormir cedo e acordar cedo. Não beber, nem fumar. Praticar esportes e coisa e tal. Acho realmente insuportável e raramente sigo à risca os deveres aos quais sou submetido.
Me sinto bem vivendo o meu estilo de vida que muitos conhecem e sabe como é.
Já quebrei o pau em empregos hediondos e caí na estrada em busca de algum sentido na vida. Você já deve ter visto momentos como esse em algum filme ou livro. Sei que sim. Esse desejo não é só meu. Nunca será.
Cheguei recentemente de uma viagem que durou três meses e meio. Fiz o que mais almejei nos últimos três anos desde que criei o On The Rocks e a La Verga, e quer saber? Não me arrependo de nada.
Experiência marcante em minha vida, as coisas ficaram mais claras desde que saí de Salvador no final de abril. Continuo dormindo tarde e acordando tarde. Os vícios continuam os mesmos, mas com uma grande diferença: eu não me sinto mais culpado como antes. Dessa vez, permito me aceitar como sou.
Todo sentimento de culpa que havia em mim foi por água abaixo.
Amante da música e das artes em geral, me permito ser o Buenas que meus amigos tanto admiram. Quanto aos detratores... ah, eles não me dizem nada; assim como meu nome e minha idade.
São duas da matina agora. Beberei um café e me sentirei melhor; é sempre assim. Toda vez que me sinto bem e tomo um café, as coisas ficam bem melhores.
Aqui na casa de minha madrinha não tem internet no momento. Problemas técnicos.
Antigamente, me sentia longe do mundo quando não tinha internet comigo. As coisas mudam... agora mesmo, não tô nem aí. Retorno pra Salvador na próxima quarta-feira, 17, e estarei em contato com o mundo virtual novamente.
Navegar na web em lan house é chato. Ontem mesmo, tinha um cara ouvindo forró sem headphone. Que coisa insuportável: o cara e o som que ele estava ouvindo.
Fiz o que tinha de ser feito e caí fora. Amenizei as coisas depois que cheguei em casa e peguei uns discos que trouxe comigo. Bendito seja John Coltrane, Joni Mitchell, Van Morrison, Bob Dylan, Cat Power, Portishead, Lou Reed, Cigarettes, The Gilbertos e John Cale.
Estou bem leve agora. O coração, apertado. Saudade é coisa que realmente incomoda, mas é um incômodo bom. Eu fiz, sabe? Experimentei e curti tudo que me foi permitido.
A leveza e a sensação de ter feito a melhor viagem de minha vida me conforta e o café deixará as coisas bem melhores.
Isto, caro leitor, chama-se Qualidade de Vida.
Quanto ao remédio que eu estava tomando pra depressão, deve ter sido esmagado pela roda de algum caminhão e virado pó, misturando-se com o pó da estrada.
Até a próxima.
P.S.: Sampa, me aguarde. Retornarei em breve.

sábado, 13 de agosto de 2011

As Dez Mais da Semana.

1. Bob Dylan - Most of the time;
2. Sune Rose Wagner - Tyskerpiger;
3. Sonic Youth - What we know;
4. Van Morrison - Madame George;
5. Ben Folds & Nick Hornby - Berlinda;
6. Silver Jews - Horseleg swastikas;
7. Stuart Staples & Lhasa de Sela - That leaving;
8. Terence Trent D'Arby - Seven more days;
9. The Cigarettes - The bore;
10. David Bowie - Sound and vision.

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Doces Tangerinas.

Eu estava com Tony Lopes fazendo a resenha do fim de semana numa tarde ensolarada de verão, na saudosa São Rock Discos, quando um homem de meia estatura, moreno, usando uma farda azul de mecânico, aparentando quarenta e cinco anos de idade, adentrou a loja à procura de discos de Lucky Dube. Para sorte dele, tínhamos quatro títulos do cantor de reggae.
O sujeito se apresentou como irmão do vendedor de côco que tinha um mercado próximo à loja, numa esquina que ficava perto da casa de Tony. Conversamos um pouco e ele mostrou-se entusiasmado com a gente.
Não demorou muito, deixou transparecer que estava com pressa e pediu pra gente embrulhar os discos. Tony fez o embrulho e entregou em suas mãos. No momento do pagamento, o sujeito disse ter esquecido a carteira e pediu para que um de nós o acompanha-se até o mercado de seu irmão para pegar o dinheiro. Resolvi então acompanhá-lo. Na saída, nosso cliente perguntou por um disco do Michael Bolton. Tínhamos um título e ele resolveu comprá-lo, também.
Cinco discos foram a comprinha do rapaz.
Saímos em direção ao mercado e no caminho ele falava com pressa tentando me confundir com suas histórias. Passamos em frente ao mercado, mas não paramos. Nosso cliente acenou para um rapaz que estava na porta, mas o rapaz não retribuiu o aceno. Achei estranho.
Seguimos então rumo ao Free Shopping do Rio Vermelho, pois era lá que o irmão dele estava esperando-o no escritório do tal mercado.
Próximo ao Free Shopping, tinha um menino vendendo laranjas e tangerinas numa banquinha improvisada em uma viela que dava acesso à praia. Ele pegou umas moedas do bolso da farda e comprou um saco de tangerinas amarelinhas pra mim. Agradeci e seguimos.
"Ele disse que pegaria o dinheiro no mercado... " pensei, mas não disse nada. Eu estava confuso com tanta história que o cara contava. Àquela hora, eu já sabia muito sobre sua vida.
O sujeito passava a imagem de um cara batalhador que segurava a onda da família nas costas. Seu único sustento era uma oficina mecânica que disse ter em sociedade com um amigo.
Chegando em frente ao Free Shopping, fiquei parado segurando o saco de tangerinas enquanto ele subia as escadas que dava acesso à administração do local. Nosso cliente ainda fez um gesto com a mão pedindo que eu o aguardasse. Foi o que fiz.
O tempo ia passando e nada do cara descer. Resolvi subir as escadas e procurá-lo, mas o sujeito não estava mais lá. Peguntei por ele. Em vão.
Lembrei-me que existia um elevador. Este, levava as pessoas à garagem, e consequentemente, à saída dos fundos.
Procurei um orelhão mais próximo e liguei para Tony avisando que a gente tinha sido enganado. Tony disse que imaginou que isso tivesse acontecido devido a minha demora.
Retornei à loja com as tangerinas. Tony estava com cara de derrota atrás do balcão. Eu imaginei que também estava com cara de derrota.
Ofereci uma tangerina, mas ele não quis. Disse que ia pegar os meninos na escola e eu fiquei sozinho na loja chupando as doces tangerinas do nosso "ilustre" cliente.
Visite a La Verga, meu blog de poemas eróticos: http://www.lavergadelbuenas.blogspot.com/. Até a próxima.

Galeria.

 

sábado, 6 de agosto de 2011

As Dez Mais da Semana.

1. Thurston Moore - Benediction;
2. R.E.M. - ÜBerlin;
3. Foo Fighters - These days;
4. Gal Costa - Mãe;
4. Morphine - The night;
5. Beto Guedes - Pedras rolando;
6. The Vaccines - Blow it up;
7. Lulu - To Sir with love;
8. Procol Harum - A Whiter shade of pale;
9. Joni Mitchell - The Last time i saw Richard;
10. Thusrton Moore - Circulation.