segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Galeria.

Eu sempre tive curiosidade pra saber quem são os meninos que estampam a capa do clássico Clube da Esquina de Milton Nascimento e Lô Borges gravado em 1972.
Foi meu amigo D. Luchiano Fraga quem me emprestou este álbum após uma farra na casa dele, nos idos de 1995/1996. Eu já conhecia a capa do álbum, através de revistas e lojas de discos, mas nunca tinha escutado. No momento do empréstimo, perguntei a ele quem eram os meninos, mas ele não sabia. Então, perguntei a Nelsinho Magalhães, outro amigo em comum, mas este também não sabia.
Coloquei o disco embaixo do braço e fui pra casa. Coloquei-o ao lado do meu som no quarto e fui dormir admirando os dois meninos. No dia seguinte, escutei com minha mãe várias vezes; era um domingo, e a gente ficou em casa bebendo umas cervas e curtindo minha nova descoberta.
Nossas visitas questionavam quem eram os guris.
Passado uns anos, meados da década passada, a revista Bizz, ao qual sou fã - muito do que sei sobre música, aprendi através dela - querida por boa parte da minha geração, publicou um especial intitulado As 100 Maiores Capas de Discos de Todos os Tempos, e nela havia um texto explicando a história da capa dessa obra-prima da música.
Os meninos foram fotografados pelo recifense Cafi, apresentado aos mineiros por Ronaldo Bastos, em um casarão na praia de Piratininga onde Milton, Lô e sua turma gravavam o disco.
A convite de Milton, Cafi seguiu com o grupo para a festa de bodas de prata dos pais do cantor. No caminho, às margens de uma estrada de terra, Cafi pediu para que o motorista parasse e então ele fotografou os dois meninos, um negro e um branco, que ali estavam sentados observando o movimento da turma.
Cafi diagramou sua foto sem texto nem identificação, mas foi obrigado pela EMI-Odeon a usar os nomes de Milton e Lô na contracapa do álbum com letras garrafais. Era um truque: a gravadora orientava os lojistas a exibirem o disco com o verso para a frente.
Fico por aqui ao som de O Trem azul, minha canção preferida do álbum.

Até a próxima.
Postar um comentário