sábado, 31 de dezembro de 2011

Melhores do Ano (2º Parte).



Pretendi acordar cedo, hoje, para escrever o último post do ano, mas não consegui. Fui dormir tarde. Bebi várias cervas com minha mãe, e quando percebemos, o galo já estava cantando: quatro e meia da matina. Ou como diria Bortolotto, "no cu da madrugada" foi a hora que percebemos o quanto estava tarde, ou cedo demais - depende do ponto de vista.

Ontem, eu estava conversando com um brother no chat do Facebook e ele me chamou de "Chinaski baiano" - o personagem dos livros do Charles Bukowski. Achei bacana a comparação, mas fiquei sem entender. Depois ele me explicou que não era pela bebedeira, e sim, pela forma como troco de emprego - assim como o Chinaski - e pela semelhança com minha escrita. Agradeci o elogio e ri quando lembrei-me do lance do emprego, coisa que nunca havia passado pela minha cabeça.

Desde que caí na estrada em abril deste ano, vindo a fixar residência em São Paulo, em setembro, que não consigo emprego. 

Este tipo de coisa me incomoda muito, ainda mais agora, que minha mãe acionou a luz vermelha ameaçando apagá-la de vez.

Resolvi morar em São Paulo em julho último, e não me arrependo de nada. As dificuldades são muitas - ainda bem que tenho minha mãe e amigos que tem me ajudado bastante.

Chritiano Blumetti, Fabríco Silva, Daniel Lopes, Michele Prado, o Gilson, Cristiano Rebouças, Cássio Mariane (meu irmão), e a família Miguel:  são esses seres que têm feito muito por mim ultimamente. Além de minha mãe, é claro.

As dificuldades vão passar, eu sei. Agora, vamos aos melhores do ano na música.

Ouvi poucos lançamentos neste ano, principalmente os nacionais. Quero que saiba que a Mallu Magalhães continua de fora do meu time; Karina Buhr não bateu e o Criolo não me disse nada. São músicas que não mexem comigo. Ah, mas vocês querem saber o que importa para o Buenas? Aqui está:

Melhores Discos Internacionais:

10) Stephen Malkmus and The Jicks - Mirror traffic;
9) Danger Mouse & Daniele Luppi - Rome;
8) Booker T. Jones - The road from Memphis;
7) PJ Harvey - Let england shake;
6) R.E.M. - Collapse into now;
5) Thurston Moore - Demolished thoughts;
4) The Walkabouts - Travels in the Dustland;
3) The Vaccines - What did you except from The Vaccines?;
2) Anna Calvi - Anna Calvi;
1) Tom Waits - Bad as me.

Músicas Internacionais:

10) The Raveonettes - Recharge & revolt;
9) Wilco - Dawned on me;
8) Girls - Love like a river;
7) The Vaccines - Blow it up;
6) Stephen Malkmus - Tigers;
5) The Decemberists - Down on the water;
4) Thurston Moore - Benediction;
3) The kills - Baby says;
2) Anna Calvi - Blackout (assista o video logo abaixo);
1) Tom Waits - Back in the crowd.

Vocais: Anna Calvi e Tom Waits.

Bandas: Sonic Youth e Wilco.
Revelação: The Vaccines.

Pô, ouvi poucos discos nacionais neste 2011 que está prestes a partir. Desses poucos, destaco No Fim de Maio da banda Theatro de Séraphin - a melhor banda de rock de Salvador da atualidade.

2) Bidê ou Balde - Adeus, segunda-feira triste (EP);
3) Erasmo Carlos - Sexo;

Músicas: 

Bidê ou Blade - Me deixa desafinar;
Saco de Ratos - Mulheres.

Bandas: Saco de Ratos e Theatro de Séraphin.
Revelação: Macabéa.

Shows: Saco de Ratos no Club Noir (São Paulo) e Teenage Fanclub no Circo Voador (Rio de Janeiro).

Vocais: Arthur Ribeiro (Theatro de Séraphin) e Mário Bortolotto (Saco de Ratos).

Evento: TAZ (Tuesday Autonomous Zone), que acontece uma vez por mês no Centro Histórico de Salvador reunindo os melhores DJs da cidade.

Bar: Mercearia São Pedro (Rua Rodésia, Vila Madalena).
Garçom: Qualquer um do Duas Rosas (Vila Mariana).

Fico por aqui. Desejo a todos um ano novo repleto de realizações, felicidade, saúde e paz. 

Até a próxima.



Postar um comentário