sábado, 28 de abril de 2012

As Dez Mais do Mês.


1. Alabama Shakes - You ain't alone;
2. Lee Ranaldo - Off the wall;
3. Lou Reed - My house;
4. O Último Número - A bíblia, o bêbado e as mulheres belas (lupicínica n° 5);
5. Rolling Stones - We had it all;
6. Leonard Cohen - Lullaby;
7. Ben Folds & Nick Hornby - Berlinda;
8. Mavis Staples - In Christ there is no east or west;
9. Nau - Corpo vadio;
10. Bob Dylan - Lay down your weary tune.


Alabama Shakes - You ain't alone.

sexta-feira, 27 de abril de 2012

"Não digo que sou mau, mas digo que tome cuidado. Sou de 
uma raça indomável, que se movimenta rápido, o tipo de criatura que deixa um rastro de ânsia quando passa. Já não digo mais mentiras porque perdi a imaginação mas não há nada que seja confiável nas minhas verdades. Abro os olhos e olho para o teto. Isso me dá vontade de pensar. Penso deitado durante muitas horas. Nem sempre foi assim. Como Sid e Nancy, eu também tentei chegar a tempo para o jantar, mas os cartazes de publicidade e os sinais de trânsito foram apodrecendo meu sangue. Mamãe vinha toda noite inspecionar meu sono: primeiro tirava o livro das minhas mãos, depois me agasalhava bem, me benzia duas vezes, apagava a luz e ia embora sem fazer o menor barulho. Como Sid e Nancy, eu também adivinhei formas nas nuvens e nem sempre elas eram agradáveis. Como eles, eu fiquei farto de ver desfilar professores fedorentos e bandas militares enquanto no fundo soltavam ferozes cuspidas e peidos entrecortados. Então pulei a janela e pisei fundo no acelerador, entrei em contato com a grama e com as libélulas, e logo não havia mais grama e sim um tiquetaque prometedor, uma brusca ameaça de música e outros que como eu procuravam encrenca".



Trecho do livro Era uma vez o amor mas tive que matá-lo de Efraim Medina Reyes, que está lançando livro novo.

domingo, 22 de abril de 2012

4 anos de On The Rocks.


Hoje, o On The Rocks está completando quatro anos de existência. Após uma viagem mal sucedida pela Europa, criei este meio de comunicação com o intuito de indicar discos, livros, publicar poemas e crônicas como uma forma de me fazer presente para o mundo.

Nestes quatro anos, fiz boas amizades, descobri valores nas pessoas que até então não conhecia, namorei algumas mulheres e fiz amizades com outras, viajei pelo país vindo fixar residência em São Paulo.

Eu morava em Salvador em 2008 e muita coisa mudou em minha vida, graças a minha coragem de procurar um lugar para que eu possa viver em paz e de bem com a vida.

SP é a minha cara; algumas pessoas disseram quando souberam que estou aqui.

Não fosse pelos estresses que ocorreram na semana, eu poderia bater agora no meu peito e gritar bem alto que estou bem. Mas não posso, infelizmente, não posso.

Escolhi alguns discos para hoje. São eles:

Echo and The Bunnymen - Ocean rain;
The Cult - Love;
Leonard Cohen - Old ideas;
Arnaldo Baptista - Lóki?
O Último Número - Museu do mundo;
Legião Urbana - V;
Dexter Gordon - Ballads;
John Coltrane - Lush Life;
Lou Reed - Blue Mask;
David Bowie - Aladdin sane;
Mavis Staples - You are not alone;
Nick Cave - No more shall we part.
Messias - Escrever-me, envelhecer-me, esquecer-me.

Ontem, foi o aniversário de Robert Smith e do Iggy Pop, dois caras que fazem minha cabeça há muitos anos. Em homenagem a eles, indico o The head on the door (clássico do The Cure), e Brick by brick (discaço de Mr. Pop).

Agora, voltarei a ler O vinho da juventude (John Fante), que trouxe de Salvador na semana santa e estou louco para lê-lo mais uma vez. Juízo!

Até a próxima.

domingo, 1 de abril de 2012

Saudade da Nau.

O primeiro disco da Nau (1987) é um tesouro esquecido da música produzida no Brasil. Essa geração que vive incensando Tulipinhas e companhia bem limitada não conhece esta obra-prima. Ou, se conhece, parece ignorar.

Quando eu comecei a escrever no On The Rocks, as minhas referências jornalísticas musicais eram a escrita de Celso Pucci e Lester Bangs. Às vezes, gosto de pensar que foi uma boa não ter entrado para a Faculdade de Comunicação. Se isto tivesse acontecido, eu, como sou fã de música, provavelmente estaria escrevendo para algum jornal, revista, ou até mesmo um site especializado e ganhando uma grana com isso; o que seria um martírio. Já pensou, se o editor vira pra mim e diz assim: "Buenas, eu quero que você faça uma matéria foda sobre a Tulipa". Ou, "Eu quero que você assista um show da Karina (acho que é Burh o sobrenome dela) que será destaque na próxima edição". Pô, eu iria tremer (certeza), para procurar argumentos e tentar cair fora de tal missão. Ou então, fingir que estes, entre outros artistas em evidência na atual pálida música pop brasileira, seja relevante sem ser - o que é pior.

Mas, quis o destino que as coisas fossem bem diferentes para mim. Escrevo sempre, claro, e só vou parar quando estiver morto. Escrevo pelo puro prazer de escrever. Escrevo para me fazer presente no mundo. Indico o que acredito que seja relevante para mim e para quem admira meus escritos, e isto é muito bom.

A consistência no som da Nau me arrebata. As guitarras choram; o baixo, pulsante, emana calor e a bateria bate forte como um coração apaixonado.

Eu assistia direto ao video de Corpo vadio em um programa local que passava aos sábados à tarde. Lembro vagamente deste video... um tom sombrio permeava as cenas... Vange Leonel, a cantora, passeando pelos escombros de um casarão. Acho que era assim.

Balada é a minha canção preferida desse único disco lançado pela banda. Há rumores que existe um segundo, gravado logo depois deste, mas que nunca viu a luz do dia devido a problemas técnicos.

Eu ando desmotivado para indicar discos aqui. Você, que me ler desde os primeiros passos do On The Rocks, deve ter percebido.

Caro leitor, pouca coisa tem mexido comigo, principalmente no que diz respeito à música produzida no Brasil. Fiquei sabendo, na semana passada, que o Arnaldo Baptista está em estúdio gravando Esphera, seu próximo disco sob produção de Fernando Catatau. Outras notícias que me animaram bastante foi a que o Renato Godá está finalizando o sucessor de Canções para embalar marujos; Luís Capucho, finalmente, irá lançar o Cinema Íris - disco gravado em 2010, mas que só sairá agora; o novo da Saco de Ratos está pronto e a Fábrica de Animais lançará ainda neste semestre seu primeiro registro fonográfico.

Para finalizar, tem uma banda nova, chamada Single Parents, que é bem legal - escrevo sobre eles depois.

No mais, sigo o meu caminho de mãos dadas com Mona ouvindo Arthur H., Bob Dylan, Leonard Cohen, Tom Waits, Rolling Stones, Serge Gainsbourg, Arnaldo Baptista, Angela Ro Ro e Lou Reed, entre outros.

Visite a La Verga, meu blog de poemas e crônicas eróticas. Acesse: http://www.lavergadelbuenas.blogspot.com/.

Até a próxima.