segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Fita K7 para embalar um romance.


Eu costumava presentear uma ex-namorada com fita K7. As canções eram escolhidas a dedo. Fosse no dia dos namorados, aniversário dela ou no natal, com muito carinho, eu pegava uma parte da minha mesada e comprava a Basf Chrome de 60 minutos, ou quando caprichava demais, dava uma Scotch de 46 pra deixar um gostinho de "quero mais". No encarte, belas declarações de amor. Passava a madrugada fazendo a seleção das músicas. Riscava umas, acrescentava outras, e ela parecia gostar dos meus presentes. Pra minha surpresa, quando ela terminou pela primeira vez - ela sempre terminava -, em meio a uma discussão, mandou essa: "Eu não aguentava mais aquelas fitas que você me dava. Você só me dava fita, porra!".

Voltamos. Mudei de presente. Resolvi dar perfume, porque sabia que ela adorava. Já trabalhando, comprava sempre os mais caros. Uma vez, tive que pedir dinheiro emprestado a um amigo porque o meu salário havia atrasado e o aniversário dela estava próximo.

Sempre sorridente, me enchia de beijos e carinhos toda vez que eu adentrava seu apartamento com seus presentes. Então, quando ela terminou de vez, mandou a voadora: "Que porra! Eu não suportava aqueles perfumes ordinários que você me dava. Que mau gosto do caralho!".

Até a próxima.
Postar um comentário