terça-feira, 2 de outubro de 2012

Para Jane Birkin.



Eu sempre sonhei em ter uma Jane Birkin na minha vida.  Minha maior musa, a mais inspiradora, vive atualmente em meu coração diariamente. Mas essa Jane atende por outro nome e devo dizer que o meu passatempo preferido nos últimos dias é ficar olhando suas fotos aqui no Facebook. Eu necessito de combustível pra viver e levar uma vida de rotina não é a minha -- bate uma angústia e me faz sentir sozinho por muito tempo, e isso não é bom. Então, fico aqui admirando as fotos da minha Jane Birkin brasileira. É louco, eu sei. Louco porque acho difícil um relacionamento. Ela é agradável, educada e atenciosa comigo, mas é louco essa minha admiração por ela. É que não vai rolar, mas como eu necessito de combustível, me entrego. Me permito. Sangrar é comigo mesmo. Imagino que existe coisas melhores pra se fazer na vida.

 (...)

Eu quero mais. Muito mais. Então, vivo escrevendo com pensamento nela. Tenho várias musas, mas tem sempre uma que bate mais forte e a Jane supera todas elas, inclusive a Debbie.

Alguém já disse que eu tenho várias facetas. As fases vivem mudando, claro, mas sem dúvida alguma, a que mais me dar prazer é essa que costumo chamar carinhosamente de "fase romântica solitária". É quando os meus melhores textos brotam. Supera a fase deprê e quero aproveitar pra dizer que quando tô namorando é a pior delas para escrever. Os textos são técnicos, sem emoção, sabe... exceto um ou outro, devido as dores e pancadas que são peculiares no meu caminho, a maioria são fracos. Ao menos, pra mim.

Agora, vou dar mais uma olhada nas fotos da Jane e tentar dormir sem o ansiolítico, o que acho bem difícil que aconteça. Mas eu tento, assim como tentarei ter a Jane comigo, nem que seja, só por uns instantes.

Até a próxima.

P.S.: Mais um texto escrito no Facebook. A turma gostou. Massa.
Postar um comentário