quinta-feira, 8 de novembro de 2012

a desolação de Debbie.


acordei com este texto na cabeça, Debbie. tem algo estranho acontecendo: faz três dias que não tomo minha medicação e às oito da matina eu estava em pé escovando os dentes. às vezes penso que sua desolação é minha também. ontem, começou o segundo módulo do curso do Willer (desta vez só Allen Ginsberg). sempre tive a impressão de conhecer mais sobre o Ginsberg do que sobre o Kerouac, mas me enganei. eu sei muito mais sobre o rei dos beats e não sabia. terminei o Big Sur e já comecei a biografia que a Ann Charters escreveu sobre o escritor mais terno que conheço. sabe o que é, Debbie? o meu sonho é unir a escrita carregada de emoção e melancolia de John Fante com a crueza da prosa do Henry Miller em meio a espontaneidade e ternura do Jack Kerouac. isso pra mim é muito. mas sei também que o meu muito é o pouco de muitos. parece que meu livro será, finalmente, lançado no próximo ano. uma editora daqui de SP se interessou pelos meus escritos. agora, só falta a gente sentar pra conversar. 18 de maio, quanto tens por dizer... sairá no formato pocket. são textos e poemas escritos ao longo de quatro anos desde que fui deportado de Londres e, por conta disso, pra não pirar por ver meu sonho de adolescente ir por água abaixo, montei meus blogs após assistir Quase famosos e o que mais mexeu comigo foram os conselhos que o Lester Bangs dá pro jovem aspirante a jornalista. daí me lembrei que as pessoas se divertem quando digo que sou um blogueiro aspirante a escritor. pode rir, eu não ligo. no livro terá textos inéditos, também. não será apenas uma compilação. vou estender minha autobiografia em versos postada no On The Rocks em maio de 2009 e transformarei em um poema quilométrico semelhante ao do Lawrence Ferlinghetti. foi por causa dele que resolvi dar este formato à minha autobiografia e muita gente pensando que eu me inspirei na do Novos Baianos ou teria sido de Moraes Moreira? não me lembro. que derrota ter que escrever estes nomes maculando meu texto. tem uma coisa que eu queria me lembrar mas não tô conseguindo. ah, alguém me disse que minha lista com os melhores discos da minha coleção são melhores do que as da Rolling Stone e uma outra disse que eu mando cada paulada nos meus escritos que é de arrepiar. mas eu lembro quem me disse isso. foi uma gata semelhante a você. talvez ela tenha razão. quero que você saiba que eu só vou postar este texto aqui porque sou cara-de-pau e gosto de pensar que um blogueiro aspirante a escritor tem que ser, não é mesmo? às vezes sou tolo em mostrar certas coisas pros meus amigos. talvez seja pelo horário. acordar cedo não é comigo. sinto-me estranho. deve ser por isso que este texto é tão fraco. não sei. talvez. minha garganta voltou a me incomodar, mas não se preocupe, não é nada grave. acredito. vou ao médico mais tarde. vou dizer a ele que quero fazer um exame porque o xarope eu já comprei. vou parar por aqui. é que não comprei a mesinha ainda e comecei a escrever sentado na almofada ao lado da minha cama, mas como me empolgo toda vez que escrevo, fico de joelhos e estes tão começando a doer. pera aí que eu vou abrir a porta da sacada. tá começando a esquentar e o calor mexe com meu humor, que já não é dos melhores. sei que você gostou dessa.

perdi dois quilos em duas semanas. meu horário tá todo desorganizado. tenho tomado café às duas da tarde e almoçado à noite. janta? só a partir da meia-noite. assim não dá, isto sem falar que não como nada quando saio pra beber. aliás, só na volta quando a gente para no Marajá ou no Estadão. Debbie, fico por aqui. não gostei desse texto. este não sairá no meu livro. fique bem. beijo, 

Buenas.

* * *

Tem post novo na La Verga Del Buenas, meu blog de textos eróticos. Acesse: www.lavergadelbuenas.blogspot.com.


Postar um comentário