terça-feira, 6 de novembro de 2012

Como é mesmo que se bate?


Aconteceu na sexta-feira em frente a um bar que costumo frequentar aqui em SP. Um imbecil "amigo" da turma chegou em mim pedindo um gole da minha cerva e me questionou por que eu dei um gole pra minha amiga Juli e não pra ele. Eu disse "claro", sorrindo, e voltei pro meu lugar. O cara saiu de onde ele tava e, parado em minha frente com os punhos fechados, ameaçou a me bater dizendo coisas do tipo "você não tem culhões", "Você é um merda"... coisas do tipo dele. Diferente de mim que vivo cercado de amigos que gostam e me admiram (disso eu sei), mas o imbecil não tem a quantidade de amigos que eu e, pelo que percebi, não é do tipo que deixa saudade por onde passa. Diferente de mim. Então naquele exato momento, pensei aflito: "Como é mesmo que se bate?", e o cara furioso na minha frente. Lembro que a última vez que eu briguei foi nos anos oitenta pra defender meu irmão. Sempre defendendo ele. Eu devia ter uns quatorze/quinze anos de idade. Hoje, tô com quarenta e nem sei mais sair na mão com ninguém. Acontece que eu decidi me afastar desse bar por uns tempos. Vou lá a qualquer momento pagar minha conta e ficar um pouco distante. Fico sentido porque as pessoas que eu gosto e admiro frequentam este bar; inclusive o chefe dessa turma que é uma pessoa que eu admiro muito. É que o imbecil que me refiro anda lá direto e acho melhor eu ficar por aqui na minha. Minha sorte foi que meu amigo Bad boy beat tomou a frente e afastou ele de mim. Amigo este que também vou sentir falta. Como se não bastasse ficar sentido em me afastar dessas pessoas que tanto gosto, minha paquerinha anda por lá e isso talvez complique as coisas. Mas eu vou dar um jeito. Quando fico afim de uma menina, eu sempre dou um jeito.

Mas como é mesmo que se bate?

* * *

Tem post novo na La Verga, meu blog de textos eróticos. Acesse: www.lavergadelbuenas.blogspot.com.
Postar um comentário