segunda-feira, 24 de dezembro de 2012


Todo ano é sempre a mesma coisa. Eu ouço In the hot sun of a christmas day há uns vinte anos na véspera do natal e fico imaginando como deve ter sido triste pra Caê aquele momento cinzento em sua vida longe dos seus amigos e familiares. Lembro que esta bela e triste canção foi a primeira que peguei pra traduzir quando comecei a estudar inglês fora do colegial. Traduzi limpando minhas lágrimas numa véspera de natal na casa dos meus avós paternos. Eu fui criado ouvindo esse cara, entre outros talentos da música popular brasileira. Adoro Cinema transcendental e este disco gravado em Londres na época do exílio em 1971. Mesma Londres que me deportou em 2008 dando uma rasteira em minha vida, que, não fosse meus entes queridos que me acolheram, provavelmente não estaria aqui escrevendo este texto numa cidade litorânea do Paraná. O máximo que pude curti dessa viagem foram meus quinze dias em Lisboa em companhia dos meus primos Léo e Nena que foram super gentis comigo. Tá no sangue. É foda. Pra não pirar de vez quando retornei ao Brasil, montei o On the Rocks após ter assistido o filme Quase famosos e em seguida a La Verga Del Buenas, meu blog de textos eróticos (este me deu mais dor de cabeça até hoje do que prazer). Acredite.

Felicidades.
Postar um comentário