quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

As Dez Mais do Mês.


1. Emmylou Harris - You'll aim towards the sky;
2. Cida Moreira - Maior que o meu amor (Video no post abaixo);
3. Mark Lanegan - White light/White heat;
4. Sérgio Sampaio - Eu sou aquele que disse;
5. Nick Cave - Jubilee street;
6. Chelsea Light Moving - Burroughs;
7. Junior Kimbrough - Keep your hands off her;
8. Barão Vermelho - Por aí;
9. Black Sabbath - Wheels of confusion;
10. My Bloody Valentine - Who sees you.

Até a próxima.

Cida Moreira - Maior que o meu amor.

domingo, 24 de fevereiro de 2013

On The Rocks Recomenda.


Depois de assistir este filmaço que meus amigos tanto comentam, só uma golada no bom e velho Jack, depois, na cerva - que por sinal, está no ponto. Eu estava precisando assistir um filme como este. É que eu tô bem devagar ultimamente, e um filme como Os Infratores caiu bem. Trilha sonora, impecável. Muito foda.

Até a próxima.

sábado, 23 de fevereiro de 2013

Minha sexta-feira começa na quinta com prévia na quarta.


Minha sexta-feira começa na quinta com prévia na quarta. Daí que meus amigos me indicaram a nova edição do primeiro disco do Barão Vermelho de 1982. Como eu sempre os escuto e sei que eles raramente erram, fui atrás do disco. Comprei ontem na Velvet SP do meu brother André Fiori. Pô, a gravação tá muito foda. Ouvindo agora no volume máximo do meu headphone, acabo de crer, mais uma vez, que este é um dos cinco melhores discos de rock brasileiro dos anos oitenta. Aliás, de todas as épocas. Vai encontrar páreo quando o assunto for o primeiro e único do Nau; Singin' alone do grande Arnaldo Baptista; Dois da Legião Urbana e algum do Ira! (a banda que melhor cantou São Paulo). Lembro de Pobre Paulista, o hino do rock paulistano, e me deu uma vontade "fila da puta" de ouvi-los agora e beber mais umas com o Marião Bortolotto (repetindo a dose de ontem). É que minha sexta-feira começa na quinta com prévia na quarta.

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

On The Rocks Recomenda.


Chelsea Light Moving é o novo projeto de Thurston Moore,  cantor e guitarrista do Sonic Youth, que após o lançamento do bom Demolhished Thoughts em carreira solo, nos presenteou com este essencial lançamento para seu currículo. Aqui está o link para você ouvir o disco em streaming.

Acesse: http://www.npr.org/2013/02/17/172096457/first-listen-chelsea-light-moving-chelsea-light-moving?sc=tw&cc=twmp.

Até a próxima.

terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

Quem me dera tê-la morando ao meu lado.

(Foto: Mônica Montone)

Gostei do formato que a poeta Adriana Zapparoli deu para "Quem me dera tê-la morando ao meu lado", prosa poética  que eu escrevi e postei na La Verga em 2009.

Quem me dera tê-la morando ao meu lado, imaginar os seus afazeres é tão prazeroso quanto deitar-me em seu tapete perfumado pelo cheiro que exala dos seus cabelos. Afago-os, contemplo teu semblante meigo... Ouço teus cochichos que me envolvem como uma canção do Antony and The Jonhsons - Lembra que foi você quem me apresentou naquele outono em que colhemos os sapotis no quintal de tia Lucy? Gargalhamos muito em frente aos cães que trepavam na posição que você mais gosta. Quero te apresentar uma banda que ando ouvindo, chama-se: Band of Horses - The great salt lake é a tua cara! Me incomodo quando ouço os toques do teu celular, estremeço! Aumento o som - o canto cortante da Hope Sandoval invade o quarto adormecido pela tua ausência. Teu ficante é um canalha escroto! O sol impiedoso esmurra minha cara de réu, não consigo suportá-lo. Devolva-me aquele bilhete em que você confidenciava tua admiração pelo meu caralho rígido e belo (só você sabe acariciá-lo como eu mais gosto). Adorei a plaquinha pregada em tua porta: "Fui catar sonhos, não demoro". Passo a mão ao meu lado, não te sinto, lembro: "Ela foi catar sonhos!" Partiu inesperadamente talvez seja um sonho, talvez. Assim como as mágoas, essas marcas indeléveis ferem meus sentimentos mais sinceros, me extenua. Meus dramas são como teu sexo - encharcados e corrosivos, cortante. O carteiro joga o jornal na varanda fria como meus pés, minhas mãos dormentes estão. Junto com o jornal o bilhetinho amassado, uma flor, um aviso: "Já posso sonhar sozinha".