sábado, 11 de maio de 2013

enquanto você dorme.


enquanto você dorme, morcegos sobrevoam os jardins do hospital que sua mãe enlouqueceu. sua mulher sonha com a grande trepada que ela não teve e o dono do bar soma contas absurdas que o levarão à falência. a menina do lacinho se masturba na cabeceira da cama enquanto seu irmão toma várias doses de. pais de família esmurram putas e dão a bunda para os chefes da segurança. Mariela se banha no mar com Juliana beliscando o bico dos seus peitos. seus filhos respiram tudo o que a vida tem de melhor. você, não. teu sócio te rouba e ainda fode a tua amante. a sogrinha do porteiro comete crimes terríveis enquanto o marido dela estupra uma sobrinha no banheiro dos fundos. seu melhor amigo embarca numa viagem sem volta. os anjos têm pena de você. a maternidade que você nasceu tá pegando fogo e você não é capaz de fazer nada. a panela tá no fogo e o gás escapando. o disco acabou. a cerva empedrou. ela na portaria, quer subir. o porteiro interfona, mas você não atende. os gatos fodem em cima do casarão em que você foi estuprado aos treze anos e ninguém ouviu seus gritos de socorro. ninguém te ouve até hoje. o advogado espera pacientemente em frente ao seu prédio. a porta do apartamento está entreaberta e a luz foi cortada.

enquanto você dorme, Samira faz fila na esquina que você teme passar. lá as crianças brincam com patins escorregando pela calçada molhada de chuva. sua febre não diz nada a elas. muito menos o ponto que você bate todos os dias pontualmente antes da rotina que te envelhece e te angustia cada vez mais. você tem contas a pagar e elas vão te matando aos poucos.

enquanto você dorme, a vida passa e você não vê.
Postar um comentário