domingo, 30 de junho de 2013

É tudo ficção.

(Pintura by Basquiat).

Não há mais verdades. Esqueça. É tudo ficção. I don't believe in love (romance is dead). O que sobrou são encontros fortuitos. Transas ocasionais. Esqueça a espera no portão. A hora em que o carteiro vai passar. Nem mesmo você sabe se eles ainda existem. Sessão da tarde com pipoquinha no sofá? Acorda, porra! É tudo ficção. Eu sou um personagem contraditório. Um pequeno texto ainda pode mudar o comportamento de algumas pessoas. Ficção é isso. E mudou. Não leve as coisas tão a sério. Meus amigos costumam dizer coisas do tipo "ainda bem que eu tenho o teatro" ou "ainda bem que eu tenho o cinema". Costumo dizer que ainda bem que eu tenho a literatura e a música. Não tomo drogas, nem mando mais cartas de amor. Talvez os carteiros sejam apenas espiões. Lembro que um amigo disse uma vez na mesa do bar que ele conheceu um que lia as cartas antes de entregá-las. Ainda bem que esse cara viveu em outro tempo, em outra cidade, e por isso mesmo, nunca pôde abrir as minhas. Ele ficaria perplexo. Tem gente que se surpreende e se incomoda com meus textos aqui, imagine um sendo direcionado pra uma só pessoa? É de arrepiar - quem já recebeu uma carta minha sabe do que estou falando. Não se iluda. Não acredite em mudanças que possam resolver e melhorar as coisas. Os caras continuarão no poder. Só as máscaras mudarão. Quanto a mim, um personagem de cara com todo esse espetáculo. Mas é tudo ficção.

Até a próxima.
Postar um comentário