quarta-feira, 7 de agosto de 2013

Desses giros (um agradecimento ao soberano).



Escrevi no texto Qualidade de Vida, postado aqui em 2011, que não pratico nenhum tipo de esportes, nem sequer faço caminhada. Há um equívoco de minha parte aí, e aproveito pra me redimir e fazer uma pequena correção. Que não vou ao médico regularmente, é certo. Praticar esporte, nem pensar. Até aí tudo bem. Mas a verdade é que gosto de fazer minhas caminhadas nos fins de tarde pelo centro da cidade e isso conta [sempre me sinto melhor quando volto pra casa]. Não é uma caminhada nos moldes tradicionais em que as pessoas colocam tênis apropriado com roupas leves e tal. Eu caminho com meu jeans e o bom e velho all star de sempre. Adoro parar em frente ao Teatro Municipal na Praça Ramos pra observar os transeuntes e imaginar seus destinos. Admiro a bunda das mulheres que passam apressadas e me pego pensando: "Pra quê tanta pressa?". Às vezes, vou ao Shopping Light comprar umas cervas importadas numa loja que fica no quarto piso (nunca lembro o nome dessa loja), sei muito bem que a variedade é boa e o atendimento é ótimo. Claro que neste giro pelo centrão é obrigatório uma passada em algumas lojas de discos: Velvet SP, Locomotiva e a Baratos Afins são minhas preferidas. Comprar ou encomendar um disco nessas lojas (compro mais na Velvet do meu brother Andre Fiori), dá uma sensação boa. Hoje mesmo, encomendei um box contendo todos os discos do Leonard Cohen, exceto Old Ideas, que foi lançado no ano passado. O box, de luxo, traz a coleção do grande Cohen em réplicas de vinil. Antes de seguir pra Ramos, passei na Baratos pra comprar 12 fêmeas, o novo do Marcelo Nova. Ouvindo neste momento, posso perceber, claramente, o amadurecimento de Marceleza como compositor. O instrumental está mais rico do que nunca e a atmosfera que permeia essas canções é de impressionar os fãs de Cash e Dylan [pensei antes de escrever isso e devo dizer que não estou aumentando nada]. Não existe terapia melhor do que escrever. Depois, sem dúvida alguma, esses passeios pelo centrão que me rejuvenescem; na volta, costumo parar no Timbiras Grill & Chopp pra jantar bebendo um choppinho escuro e assistindo os telejornais com uma quase certeza de já ter visto aquela informação antes. A vida é cíclica. Meus fins de tarde, também. Raramente são diferentes. Marceleza mandando bem aqui no meu headphone me faz crer na noite. Em mais uma me seduzindo neste exato momento e a minha adorada madrugada logo ali. Amanhã é dia de me matricular na faculdade pro curso de Letras. As aulas começam no próximo dia dezenove e as coisas vão mudar um pouco pro meu lado. Vou ter que dormir mais cedo [as aulas serão de manhã]. Mas eu tô curtindo tudo isso. Quando faço o que gosto e me dá prazer, não reclamo e ainda agradeço ao soberano por tudo.

Até a próxima.
Postar um comentário