domingo, 8 de dezembro de 2013

08 de dezembro de 1980.


08 de dezembro de 1980. eu tava em frente à tv assistindo o jornal nacional quando o repórter falou sobre a morte de Lennon. então, com oito anos de idade, perguntei às pessoas que estavam na sala quem era o cara: "ah, é aquele cantor dos Beatles". "Beatles!? Beatles!?" aquele nome reverberou em minha mente durante longos dias. longas semanas. minha curiosidade só deu por vencida quando meu padrasto chegou em casa com a coletânea Beatles forever. aí sim: eu soube quem era o artista que, ao lado de mais três seres iluminados, mexeram com a cabeça de muitos jovens espalhados pelo planeta. e eu, um guri com apenas oito anos, sentado na almofada da casa de minha mãe achando tudo aquilo lindo. ouvindo atentamente cada canção com os olhos rasos d´água. "oh, minha estrela amiga, por que você não fez a bala parar?". sim, estrela amiga: por que? o idiota continua preso até hoje. eu, sinceramente, não tenho pena. desejo que ele pague por tudo -- mesmo assim ainda será pouco. mas quem sou eu pra julgar? que os deuses intervenham. julgue-o. e se tiver de ser absolvido, que assim seja. sob o olhar de uma criança, aquele momento foi um divisor de águas. daquele momento em diante, eu não seria mais o mesmo. as canções, reportagens e entrevistas que acompanhei ao longo da minha vida, fizeram a diferença e eu nunca mais fui o mesmo.

fico por aqui tentando terminar esse texto preguiçoso e desajeitado. descoordenado. desses que a emoção quer predominar, mas falta técnica pra torná-lo preciso e enxuto.

enxugando as lágrimas na manga da velha camiseta estampando o rosto de quatro caras, não me resta mais nada a fazer.

Até a próxima.
Postar um comentário