terça-feira, 20 de maio de 2014

O Playback da Virada.

(Foto: Tarcísio Buenas).
 
Dos shows que eu assisti, o do Ira! foi o melhor de todos. Puta show du caramba. O primeiro. Depois passei em casa pra abastecer as turbinas e segui em direção ao Arouche. O show de Kátia era meu alvo. Cheguei na segunda música. Tranquilo. Minha maior expectativa era ouvir "Lembranças". E foi uma das primeiras que ela cantou. Acontece que o som deu pau na metade da música. Escabreada, Kátia foi levada a passos lentos com ajuda de um segurança - pra quem não sabe, ela é cega. Instantes depois, o som voltou a funcionar e a banda continuou do exato momento em que havia parado. Não sou esperto; se fosse, teria sacado. Beleza. O show continuou numa boa. No final, no momento da despedida, eis a punhalada: o segurança a puxou pelo braço antes do término de "Não está sendo fácil viver assim, você está em lugar nenhum....". E a voz dela cantando a música longe do microfone. Descendo as escadas, com a boca fechada, e o som rolando dos alto-falantes. Kátia, com a boca fechada e sua voz tocando os corações de toda turma que ali estava. Este pobre ser ali, parado, observando os passos lentos daquela loira, linda, com sua bela voz que sempre me encantou e continua ecoando aqui. Embasbacado.

Até a próxima.
Postar um comentário