terça-feira, 22 de julho de 2014

Trilha da madruga: Little Milton & Lucinda Williams.

(Little Milton).

Versão matadora pra "Love hurts". A melhor. Lucinda melhora ainda mais as coisas. Little prepara a cama. Deixa tudo pronto. Ela é quem vai fazer acontecer. E me pego pensando na noite. De como foi a noite. Quantas coisas... Amigos destruindo na mesa e eu me lembrando que não gosto de rotina. Rotina é uma coisa que me incomoda. Me deixa mal. Pra baixo. A única rotina que gosto é ir para a Merça às segundas-feiras, e depois, pro Filial. À noite, sempre às terças, trampo no bar. Sou o barman do Cemitério de Automóveis. Coisa que não gosto de fazer. Já falei pra turma. Mesmo assim eu vou. Eles são legais comigo. Gente boa. Todos são. E eu gosto deles. Por isso vou. Mas é que bar é bacana você curtir do lado de fora do balcão. Do lado de dentro, não é. É diferente. Às vezes chega a ser estressante. Incomoda isso. De ser estressante. É que tem cada gente chata e mala que não tá no gibi. Nem no gibi. Tudo, menos no gibi. Duvido que esteja no gibi. Mas eu vou. Fechei com eles: toda terça-feira eu sou o barman do Cemitério. E como é bom ter uma rotina às segundas. A única que vale a pena. E minha ida à Merça tem valido. Fora isso, trampar na Buenas Bookstore é outra que eu curto pra caramba. Mas é diferente. Na Bookstore, quando eu tô de saco cheio das coisas, não vou. Eu me permito a escolher se vou, ou não. E rotina, a minha, só é boa mesmo às segundas-feiras.

Até a próxima.
Postar um comentário