sexta-feira, 1 de maio de 2015

lou.


hoje eu acordei pensando nesse cara. o cara que fez minha cabeça há muitos anos atrás. new york são crônicas sobre a grande maçã. adoro. dos meus. new york só encontra páreo quando comparado a berlin, outra obra-prima. então eu acordei pensando nesse cara. lembrei que vomitei no cu da madruga, coisa q não faço há muito tempo. mesmo. não sou de vomitar. deve ter algo errado. acredito. ontem a bebedeira foi daquele jeito. de sair torto do bar. lembro me despedindo do harry potter. nos abraçamos na porta da padoca. lembro do marião entrando lá. o fernão absorto no meio do caminho. o linguinha ficou na praça. o marcelo tava fechado. que bom q tava fechado. caso contrário, o estrago seria pior. vomitei ao lado da cama. agora tá tudo bem. escovando os dentes, lembrei da feijoada na casa do marião. ele me convidou. só q não vai dá pra ir. com essa ressaca, sem condições de sair de casa. comprei umas cervas... estas ficarão para a próxima. semana q vem tem o lançamento do meu livro "18 de maio, quanto tens por dizer...". o livro deve chegar a tempo. tá em produção na gráfica. agora a cabeça tá começando a doer. é o preço. nada nesta vida vem de graça. q assim seja. e este new york é uma obra-prima. e será minha trilha mais uma vez. uma das trilhas da minha vida.

Postar um comentário