terça-feira, 27 de outubro de 2015

A vida é...

- Alô.
- Tarcísio.
- Grande Maurício...
- Segura a onda que eu tenho uma péssima notícia. 
- O que houve, meu irmão? 
- Mataram Tinho. 

(...)

 "A vida é perda", escreveu meu amigo Lucas Mayor em um dos seus textos. Encontrei o Lucas no teatro na última sexta-feira e brinquei com ele citando uma passagem desse texto: "Perdi animais. Perdi pessoas. Perdi. Perdi. Perdi". Ele riu. A vida é perda, Lucas, e eu nunca duvidei disso. Logo eu que tô acostumado a perder. Às vezes, ganho. E ganhei você como meu amigo. A vida é cíclica. Perdi Tinho. Ganhei sua amizade. Outras perdas virão. A gente sabe. Ganhos? Não sei. Quando Maurício me deu a notícia, fiquei desconsolado. Triste. Passei esses dias pensando no cara que ligava pros amigos só pra saber como ele tava. E em seguida marcar um encontro tentando reunir todos eles. Não foram poucas as "farras", como ele gostava de chamar, que fizemos juntos. Que fizemos com outros amigos. Aventuras pelo sertão baiano. Pelo recôncavo. Pelas ruas e bares de Salvador. Tinho adorava minhas dicas musicais. Ele tava sempre atento. Eu me sentia envaidecido quando ele elogiava uma dica minha. Na madrugada do último sábado, Tinho partiu deixando um legado. O da boa amizade. Humano, como pouco se ver por aí. Eu não tô sofrendo, Tinho. Dói. Mas é que sinto uma sensação boa por saber que eu fiz parte da sua trajetória. Sensação boa por saber que eu tive um amigo como você.

 Tarcísio Buenas.



Postar um comentário